Primeiros sintomas se apresentam na infância e merecem atenção dos pais

Seu filho apresenta inchaço recorrente nas pernas, barriga e ao redor dos olhos? Fique atento! Pode ser um sinal da Síndrome Nefrótica. Conhecido como um conjunto de sinais e sintomas, a síndrome aparece na infância com o inchaço comum ou progressivo por todo o corpo.

O alerta é da Fundação Pró-Rim, referência nacional em tratamento e transplantes renais. Segundo Dr. Artur Ricardo Wendhausen, médico nefropediatra, a presença do edema (inchaço) é uma das características de que os rins não estão funcionando de maneira adequada, ou seja, estão perdendo a capacidade de reter proteínas filtradas na urina. Como a quantidade de proteínas eliminadas na urina é grande, o nível de proteínas sanguíneas diminui e assim resulta no inchaço progressivo.

“Sempre que uma criança tiver um inchaço recorrente ou crescente nas pernas, barriga e na região periorbitária – ao redor dos olhos -, os familiares devem procurar o serviço médico para um diagnóstico diferencial, com base em doenças que causam esse inchaço”, explica o médico.

A identificação da síndrome é feita por exames laboratoriais, os quais se medem as proteínas séricas (sanguíneas), proteinúria 24 horas e o perfil lipídico, este que identifica irregularidades em lipídios como colesterol e triglicerídeos.

As causas da doença podem ser congênitas (rara) e/ou adquiridas por um problema de saúde secundário, por doenças infecciosas, como hepatite, AIDS, ou doenças sistêmicas, como a Lúpus. Existem casos que a doença foi transmitida geneticamente. Na infância, a síndrome se apresenta muitas vezes de forma idiopática, ou seja, por uma causa desconhecida.

Segundo o nefropediatra, é possível adotar uma série de medidas clínicas para o tratamento da Síndrome Nefrótica, que contribuem para a redução da proteinúria e para a melhor conservação renal do paciente. O tratamento inicial é sempre com o uso de corticóide.

O médico enfatiza que, assim como outras doenças crônicas, se não tratada pode evoluir para a perda total da função dos rins em longo prazo. “A boa notícia é que 80% das crianças acometidas pela síndrome conseguem se recuperar ao longo da vida, se iniciarem o tratamento já nos primeiros sinais”, finaliza.

Sobre a Fundação Pró-Rim (www.prorim.org.br): Referência nacional no tratamento e no transplante de rins, a Fundação Pró-Rim é uma entidade filantrópica com 30 anos de atuação. Possui unidades de hemodiálise em Santa Catarina e Tocantins e atende pacientes renais crônicos de todo o Brasil. Pioneira nos transplantes renais em Santa Catarina, sua equipe está entre as que mais realizam transplante no país. Já ultrapassou a marca de 1500 transplantes renais, é a primeira instituição de nefrologia do mundo a receber a certificação internacional Qmentum e a primeira unidade de hemodiálise do Estado a receber o nível máximo de Qualidade da Organização Nacional de Acreditação (ONA – Nível 3). Recebeu o Prêmio Empreendedorismo Social pela Folha de S. Paulo e foi eleita pelo nono ano consecutivo pelo Guia Você SA como uma das 150 melhores empresas para se trabalhar no Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here