Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

Sead apresenta georreferenciamento do GIPIAP

A Secretaria de Estado de Administração e Gestão (Sead) do Governo do Amazonas apresentou, nesta quinta-feira (26), os resultados obtidos pelo Grupo Integrado de Prevenção às Áreas Públicas (GIPIAP) para o coordenador executivo da Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), Marcellus Campelo.

O GIPIAP está vinculado ao Comitê de Articulação Institucional (CAI). Foi criado, em 2015, com o objetivo de gerenciar as ações integradas dos órgãos e entidades da administração direta e indireta do Estado do Amazonas nas ações preventivas e repressivas às invasões.

A crescente demanda por serviços de reintegração de posse, vistoria técnica e desocupação administrativa de patrimônio e áreas públicas levou a Sead, que também é responsável por formular e estabelecer políticas de gestão de Bens Patrimoniais e de Gastos Públicos, a ter um olhar diferenciado e atuar de forma mais estratégica. “Em 2020, iniciamos o processo de transformação digital”, destacou a secretária de Estado de Administração e Gestão, Inês Carolina Simonetti.

“O GeoSead, sistema de gestão por georreferenciamento do Gipiap, é uma resposta ao comprometimento, celeridade e a confiança que a UGPE depositou na Sead ao assinar o termo de cooperação técnica, visando resolver as lacunas existentes”, frisou a titular da Sead.

O Portal possui estatísticas das ações, mapa interativo da cidade com as marcações de denúncias já registradas, bem como um formulário para registro de novas invasões. O sistema foi desenvolvido com base na plataforma ArcGis, o que permite, ao longo do tempo, construir uma base de dados georreferenciada. “Com o sistema de gestão por georreferenciamento do Gipiap, podemos acompanhar as denúncias em tempo real, desde que chega à secretaria até finalizar todas as ações”, explica Inês Carolina Simonetti.

“Vi o GIPIAP nascer em 2015, mas somente agora, com a parceria da Sead, atuando como órgão transversal, estamos percebendo a modernização dos processos, com a possibilidade de integrar dados das demais secretarias e instituições. Temos em mãos várias possibilidades de utilização da ferramenta de georreferenciamento”, declarou Marcellus Campêlo.

Números do GIPIAP – Os números mostram avanços, segundo o secretário executivo de Gestão de Bens Patrimoniais e Gastos Públicos, Fabrício Cyrino Barbosa. No ano de 2016, apenas 14 ações foram desenvolvidas pelo grupo para combater as ocupações irregulares. “Em 2019, foram 194 ações, representando um aumento percentual de 1.285% nos três últimos anos. De 2018 para 2019, o número de ações acresceu 118%”, ressaltou o secretário executivo.

Foto: Gabriel Retondano/Sead

-publicidade-