Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

-publicidade-

Seai promove palestra voltada a policiais civis sobre lavagem de dinheiro

Na manhã desta quinta-feira, 26, por volta das 9h, policiais civis participaram de uma palestra sobre ‘Laboratório de Tecnologia contra Lavagem de Dinheiro’, ministrada pela delegada de Polícia Civil do Rio de Janeiro, Patrícia da Costa Araújo Alemany, coordenadora do Laboratório de Tecnologia contra Lavagem de Dinheiro (Lab-Ld) daquele estado.

Promovido pela Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai) da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas (SSP-AM), o encontro ocorreu no auditório da Delegacia Geral, localizado na Avenida Pedro Teixeira, bairro Dom Pedro I, zona Centro-Oeste.

Estiveram presentes, dentre outras autoridades policiais, o delegado geral de Polícia Civil do Amazonas, Orlando Amaral; a delegada Tâmera Maciel, representando a Seai; o delegado Mário Paulo Rodrigues Telles, coordenador do Lab-Ld de Manaus e o delegado Rosenildo Benedetto, diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM).

De acordo com a delegada Tâmera, a palestra inicia um ciclo de parceira entre a Seai e a Polícia Civil. “Nós queremos unificar nossos esforços e atender as demandas dessa instituição. O objetivo dessa palestra é promover essa interação”, disse.

O delegado geral enfatizou a importância da parceira firmada, destacando que as ferramentas oferecidas pela secretaria dão suporte às investigações realizadas pela instituição.

Além do tema principal da palestra, o delegado Mário Paulo discorreu sobre interceptação telefônica, ferramenta importante que auxilia os delegados na realização dos procedimentos policiais. “Aqui vamos explicar como é feito o trâmite para solicitar essas interceptações e como proceder após o pedido deferido”, explicou.

Paulo Benelli, delegado titular do 8º Distrito Integrado de Polícia (DIP), elogiou a iniciativa. Disse que foi possível verificar novos métodos que ultrapassam a visão tradicional de polícia, bem como novas maneiras de chegar ao criminoso e ao produto do crime.

“Por meio desse encontro você consegue aprender sobre lavagem de dinheiro, tentando, assim, quebrar a fonte de fornecimento à organização criminosa e aprimorar os conhecimentos de interceptação telefônica, onde temos maneiras mais céleres pra fazer uma polícia moderna”, pontuou.

-publicidade-