Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

-publicidade-

Seap realiza 1º fórum de reintegração social e discute melhoria no atendimento às famílias de presos

O 1º fórum do Departamento de Reintegração Social e Capacitação (Deresc), da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), discutiu possíveis melhorias no atendimento aos familiares dos presos, entre outros assuntos, juntamente com representantes das cogestoras do sistema prisional e diretores das unidades, nesta terça-feira (23/03).

A reunião também abordou temas como a possibilidade de realização de casamento coletivo; assistência psicossocial às famílias e aos egressos; ampliação do sistema de encaminhamento do familiar para cursos profissionalizantes; levantamento da falta de documentação dos internos; e melhoria na segurança e no espaço de trabalho dos profissionais do departamento social.

Os fóruns tiveram início na semana passada e devem se tornar permanentes. Na concepção do chefe de gabinete da Secretaria Executiva Adjunta (Sexad), major Paulo Barreto, o principal objetivo dos encontros é melhorar a prestação de serviço, com o aperfeiçoamento das ações, atividades e a universalização das boas práticas.

“Ao final de cada fórum, o chefe do departamento vai elaborar um relatório de tudo que foi discutido e com base nesse relatório é feita uma apresentação ao secretário-executivo adjunto, coronel Gioia, do que foi reivindicado, as ideias que foram apresentadas, as boas práticas que foram discutidas ali. Então, em cima de tudo isso vai ser feito um estudo, uma análise do que pode ser implementado e o que pode ser melhorado. Mas tem assuntos pequenos que são resolvidos ali mesmo, de imediato”, afirmou o major.

O departamento social da Seap promove uma série de ações benéficas ao preso, todavia, a alegada falta de documentação, especialmente do Cadastro de Pessoa Física (CPF), por parte dos internos tem impossibilitado a realização de grande parte dessas ações. Por isso, a chefe do Deresc, Keyla Prado, faz um apelo aos familiares.

“A gente solicita às famílias dos internos que nos ajudem. Que procurem em suas casas, nas suas pastas, qualquer documentação de seus familiares e levem pra gente lá no Deresc, no Centro, que com esse documento nós podemos tirar os outros. Alguns, como a carteira de trabalho, são feitos diariamente nas unidades, pois temos pessoal qualificado para isso. E muitas vezes o interno diz que não tem documento, mas na realidade tem sim, só não está ali com ele”, alerta Keyla.

FOTO: Divulgação/Seap

-publicidade-