Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

-publicidade-

Seas e gestores municipais discutem fortalecimento da rede de assistência social no estado

A secretária estadual de Assistência Social, Alessandra Campêlo, reuniu-se na manhã desta segunda-feira (29/03), com uma comitiva formada por gestores municipais da área, com o objetivo de debater sobre o fortalecimento da rede de assistência social em Manaus e nos 61 municípios do interior do estado.

O grupo que esteve na secretaria foi liderado pela presidente do Colegiado Estadual de Gestores Municipais de Assistência Social (Coegemas-AM), Eldilene Alves da Silva. A comitiva apresentou alguns pleitos do segmento, entre os quais o aumento do cofinanciamento estadual da assistência social, que este ano tem valor aproximado de R$ 7,3 milhões para os 62 municípios.

“É importante essa primeira reunião com os gestores, porque a determinação do governador Wilson Lima é fortalecer a rede de assistência social em Manaus e no interior do estado”, disse a secretária Alessandra Campêlo.

A titular da Seas também informou que, na próxima semana, deve ir a Brasília para buscar apoio do Ministério da Cidadania para investimentos na área social, principalmente como resposta imediata aos efeitos da pandemia nos segmentos mais vulneráveis.

Encontro – A agenda da assistência social prossegue durante a semana com a 1ª Reunião Ampliada do Coegemas-AM no exercício de 2021. O objetivo do encontro, que acontece entre os dias 29 e 31 de março, no auditório da Seas, é pactuar agendas de gestão, serviços e ações em prol do fortalecimento, ampliação e controle social da Política de Assistência Social – Sistema Único de Assistência Social (Suas), em tempos de pandemia da Covid-19.

A presidente do Coegemas destacou as recentes conquistas da assistência social no Amazonas, como o repasse do cofinancimento estadual segundo o que prevê a legislação do Suas. “Nós tivemos uma grande conquista, a partir de muitas lutas, para que o cofinanciamento aconteça pelo menos próximo do que preconiza a lei, que diz que ele é automático, regular, obrigatório e fundo a fundo”, enalteceu Eldilene Alves da Silva.

FOTO: Miguel Almeida/Seas

-publicidade-