Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

Secretaria de Segurança Pública transporte aéreo de equipes de socorro da cheia em Boca do Acre

Nessa semana, o Departamento Integrado de Operações Aéreas (DIOA), da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), e a Polícia Militar de São Paulo fizeram o transporte aéreo de equipes da Defesa Civil do Amazonas, Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) e Vigilância Sanitária para auxílio às famílias vítimas da cheia dos rios no município de Boca do Acre (a 1.028 quilômetros da capital).

De acordo com o secretário de saúde do interior, Cássio Roberto, além dos reflexos da cheia, Boca do Acre está passando por surtos de outras doenças, como dengue e hepatite. As equipes aéreas também registraram imagens da cidade, submersa com a subida das águas.

Boca do Acre está em situação de emergência desde o dia 20 de fevereiro. Entre a zona urbana e rural, 2.118 famílias estão sendo afetadas pela enchente, o equivalente a 8,6 mil pessoas.

A aeronave utilizada na operação, modelo Caravan, foi cedida pela PM de São Paulo para transportar passageiros e distribuir cargas através do DIOA. O avião tem capacidade para levar até 11 pessoas e vem sendo empregado também nas ações de enfrentamento à Covid-19. Após a missão humanitária, a aeronave fez abastecimento na cidade de Porto Velho e voltou para a base em Manaus.

Municípios em situação de alerta

Fonte: Defesa Civil do Amazonas

Calha do Juruá: Carauari e Juruá

Calha do Purus: Lábrea, Canutama e Tapauá

Municípios em situação de transbordamento

Calha do Juruá

Guajará – Decreto por situação de emergência e inundação
Envira – Decreto de situação de emergência por inundação
Eirunepé – Decreto de situação de emergência por inundação
Itamarati – Decreto de situação de emergência por inundação
Ipixuna – Decreto de situação de emergência por inundação

Calha do Purus

Pauini (ainda sem decreto)

Boca do Acre – Decreto de situação de emergência por inundação

Situacional da Calha do Juruá – Os municípios de Guajará, Eirunepé, Envira, Ipixuna, Carauari, Itamarati e Juruá estão com uma estimativa de 1/4 de sua população afetada. A cheia atual já se aproxima da última maior cheia de 2015, sendo assim, causando um grande impacto às famílias ribeirinhas, nos seguintes locais:

• GUAJARÁ: com aproximadamente 900 famílias atingidas;
• EIRUNEPÉ: com aproximadamente 2.000 famílias atingidas;
• IPIXUNA: com aproximadamente 3.455 famílias atingidas (Decreto de Situação de Emergência 22.02.2021);
• ENVIRA: com aproximadamente 3.000 famílias atingidas; (Decreto de Situação de Emergência essa semana)
• CARAUARI: com aproximadamente 2.000 famílias atendidas;
• ITAMARATI: com aproximadamente 600 famílias afetadas;
• JURUÁ: Sem informações até o fechamento deste relatório.

Situacional da Calha do Purus

• PAUINI: Em situação de transbordamento, sem famílias afetadas até o momento;

• LÁBREA: Em situação de alerta, sem famílias afetadas até o momento;
• CANUTAMA: Em situação de alerta, sem famílias afetadas até o momento;
• TAPAUÁ: Em situação de alerta, sem famílias afetadas até o momento;
• BERURI: Em situação de alerta, sem famílias afetadas até o momento.

FOTO: Divulgação/SSP-AM

-publicidade-