Take a fresh look at your lifestyle.

Secretário da Sefaz se nega a receber documento que solicita informações sobre situação econômica do estado

-publicidade-

O deputado Dermilson Chagas (PP) encaminhará ao Ministério Público do Estado (MPE), um requerimento pedindo informações oficiais do Secretário de Estado da Fazenda (Sefaz), Alex Del Giglio, já que o mesmo se recusou a receber um requerimento das mãos do parlamentar, em reunião que ocorreu na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam, na terça-feira (12).

Além disso, Alex não soube responder os questionamentos feitos de forma verbal sobre a relação dos credores do Governo do Amazonas e o déficit orçamentário real de R$ 1,75 bilhão; além da nomeação de 28 novos Secretários Executivos Adjuntos; e a suposta contratação de uma Organização Não Governamental de Brasília (DF).

Durante a reunião, Dermilson fez uma série de questionamentos sobre a possível contratação de uma Organização Não Governamental (ONG), Movimento Brasil Competitivo, oriunda de Brasília. “Que beneficio para o Amazonas, essa ONG irá trazer” perguntou o deputado, que logo em seguida questionou também sobre a falta de abastecimento de informações no Portal da Transparência do Amazonas e da nomeação de 28 novas pessoas para os cargos de Secretário Executivo Adjunto na Casa Civil, gerando um custo de mais R$ 300 mil mensal.

Em resposta aos questionamentos levantados por Dermilson, o secretário e controlador-geral não souberam responder sobre a ONG, por não saberem do que se tratava. Com relação ao abastecimento de informações no portal da transparência, afirmaram que um novo portal está sendo criado e que deverá ser lançando a partir de junho, sem explicar o motivo da falta de informação. Já sobre a contratação de 28 novos secretários executivos Adjuntos, eles ressaltaram que o pagamento estava sendo feito por indenização e que a informação levantada pelo Dermilson era antiga, referente ao mês de janeiro.

Após o termino da reunião Dermilson se dirigiu até o secretário da Sefaz, Alex para entregar um requerimento solicitando a relação dos credores do Governo do Amazonas que resultou em um déficit orçamentário real de R$ 1,75 bilhão, que em seguida não aceitou assinar o recebimento, alegando não ter lido e pediu para que Dermilson entregasse no protocolo da Sefaz.

Déficit do Estado

Revoltado, Dermilson criticou a postura do secretário dizendo que é má vontade, já que ele foi convidado pelos parlamentares a dar esclarecimentos sobre o déficit do Estado. “No momento que o secretario de finanças está falando sobre déficit e dívidas de fornecedores, quero saber quem são os credores. E simplesmente ele se recusa em aceitar o requerimento, dizendo que eu deveria buscar protocolo. Isso é má vontade e indisposição, mostra o seu jeito de administrar o Governo atual. Querer burocratizar não é a melhor forma de resolvermos o problema”, disse.

Dermilson também se mostrou bastante insatisfeito com as repostas do secretário e do controlador que não foram suficientes para sanar as dúvidas. “Perguntei sobre os dados do portal da transparência, do exercício de janeiro e os secretários executivos adjuntos que estão sendo nomeados, não conseguiram responder de forma esclarecedora. Apenas afirmaram que as informações estão erradas. Se estiverem erradas, a culpa é deles por não abasteceram o site. Eles que não fizeram sua obrigação. Já estamos em março, teve dois meses de transição e mais dois meses de gestão e não conseguiram atualizar nada. E depois vem para Assembleia dizer que estamos errados. Errado são as pessoas que administram esse Governo por não terem a capacidade de fazer gestão. Vamos procurar Ministério Público para buscar respostas, já que o próprio Governo não fornece”, finalizou.

Texto: Assessoria do Deputado

-publicidade-