A informação foi divulgada pelo secretário de Segurança Pública, coronel Louismar Bonates

O atual secretário de segurança pública do Amazonas, Louismar Bonates, teve ligações gravadas que são investigadas pela Polícia Federal por envolvimento com um grupo de extermínio que ocasionou diversas mortes no Estado. A denúncia foi alvo de reportagem da Rede Globo, e divulgada na noite desta terça-feira (16) no Jornal Nacional.

As gravações fazem parte de um inquérito sobre o assassinato do ex-policial civil Clidevar Lima, em 2005. Na ocasião do crime, Bonates era tenente-coronel da Polícia Militar e o corpo da vítima foi encontrado próximo de um sítio do militar.

De acordo com a PF, o secretário se reunia no mesmo local com outros policiais militares integrantes do grupo de extermínio, entre eles o coronel Felipe Arce Rio Branco – que também já foi investigado.

Na conversa, Bonates alega que prendeu uma pessoa e que participou de uma sessão de tortura. Do outro lado da linha, a pessoa manda matá-la. Ao Jornal Nacional, Bonates disse que é inocente e que não há provas contra ele, por isso nunca foi chamado para tratar do assunto na Polícia Federal.

Bonates não foi preso, mas continuou sendo investigado. O processo foi encaminhado à Justiça do Amazonas.