O secretário executivo de Juventude, Esportes e Lazer (Sejel), Guto Monteiro, recebeu na manhã da segunda-feira (17/06) a sensei Margareth Lima e os judocas indígenas Franciele D’Elia, Pablo Vinícius e Rian Gabriel, da etnia Baré, e Sanó Anastácia Tenório, da etnia Tuiuca, juntamente com os atletas Samuel Aureliano e Kauan Prata. Eles vieram agradecer pelo apoio recebido do Governo do Amazonas, por meio da Sejel, para participarem da Copa Jimenes de Judô, realizada no último fim de semana, sábado (15/06) e domingo (16/06), no Ginásio do Tropical Hotel, no bairro Ponta Negra, zona oeste de Manaus.

A competição, que foi uma realização da Federação Amazonense de Judô (Fejama), contou com o apoio do Governo do Amazonas, por meio da Sejel, e foi uma homenagem à família Jimenes, que muito colaborou com o desenvolvimento da modalidade no Amazonas.

Guto Monteiro assinala que os jovens têm um talento enorme. “É muito importante incentivar a prática esportiva, pois além de uma ferramenta de inclusão, ela transforma a vida de milhares de crianças e adolescentes todos os dias. De modo especial, estes atletas indígenas têm um grande futuro, pois já mostraram que têm talento e que poderão ser grandes representantes do estado. Exemplos como estes nos surpreendem e nos fazem acreditar cada vez mais na força do esporte”, afirmou.

Na oportunidade, a professora apresentou os alunos, que foram campeões da Copa Jimenes de Judô, nas categorias Sub-13, Sub-15 e Sub-18. A equipe, que veio da cidade de São Gabriel da Cachoeira, município com a maior população indígena do Brasil e distante 852 quilômetros de Manaus, tem como treinadoras as professoras Jéssica Miller e Margareth Lima, da equipe Judô Para Todos.

De volta a São Gabriel da Cachoeira ainda esta semana, a equipe terá um tempo curto para se preparar para os próximos compromissos, pois terá que retornar em breve para a fase final dos Jogos Escolares do Amazonas (JEAs), a ser realizada em julho, na capital amazonense.

“Sem a ajuda do Governo, da Sejel e da prefeitura de São Gabriel da Cachoeira, não teríamos como vir. Isso é muito importante não apenas para nós, mas para toda a comunidade indígena, que vê esses exemplos e passa a praticar o esporte, principalmente nessa modalidade, que trabalha muito a questão disciplinar. Para nós tudo isso é muito gratificante, e nós só temos a agradecer”, ressaltou a professora Margareth Lima.

Seletiva – No dia 8 de junho, a equipe participou de uma seletiva na Vila Olímpica de Manaus, ocasião em que Samuel e Sanó se classificaram como reservas (2º lugar) para o Campeonato Brasileiro de Judô, que será realizado nos dias 17 e 18 de agosto, em Curitiba (PR), na categoria Sub-13.

FOTO: Divulgação / Sejel