As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Sem acompanhamento, dietas e exercícios mostrados nas redes sociais trazem riscos à saúde, afirmam especialistas

Na geração em que as redes sociais ditam regras e padrões de beleza, internautas de todo o país se inspiram em famosos para alcançar o corpo dos sonhos. Entre exercícios pesados e dietas restritas, as chamadas musas fitness, como Gabriela Pugliesi, Mayra Cardi e Bella Falconi, publicam diariamente dicas que são seguidas fielmente por uma legião de seguidores. No entanto, o personal trainer Rômulo Coutinho, que trabalha com educação física há 22 anos, alerta que é fundamental ter o acompanhamento de profissionais antes de começar uma dieta ou atividade física. Segundo ele, o mais difícil é explicar para as pessoas que os corpos exibidos pelas famosas nas redes sociais foram conquistados com esforço e tempo.

“O grande problema das blogueiras é que a gente não sabe por quanto tempo essa pessoa treinou para chegar a um determinado físico, para ela chegar a um determinado de nível de exercício. E aí ela posta e parece que ela começou ontem. E aí a pessoa vê aquilo, acha que é fácil e ela pode fazer”.

Alguns alimentos, como frango, batata doce e ovo, já entraram e saíram do cardápio de quem pretende emagrecer ou tonificar o corpo. Contudo, o nutricionista Jefferson Bitencourt alerta que nenhum alimento é milagroso e explica o porquê, de na maioria das vezes, as dietas não darem certo.

“Em médio prazo, o que acontece é que as pessoas endeusam algum alimento porque viram alguma blogueira fitness falando que era muito bom e tudo mais, começam a comer esse alimento todo dia, o que a gente vê que é a monotonia alimentar, e depois elas enjoam e pegam aversão àquele alimento”.

Dieta do passarinho, do ovo cozido, da banana, da lua. Não importa o nome, muitas são as soluções alimentares que prometem perda rápida de peso, como em um passe de mágica. O mais importante, segundo os especialistas, é procurar um profissional e entender como o seu corpo funciona e do que ele realmente precisa.

Reportagem, Tácido Rodrigues

você pode gostar também