Senadores eleitos acumulam dívida de R$ 65 milhões com a União

Dados da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) revelam que pelo menos 12 dos 57 senadores eleitos ou reeleitos estão inscritos na dívida ativa por pendências previdenciárias e outros tipos de tributos não pagos. O levantamento, feito pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, inclui dívidas vinculadas ao CPF e CNPJ de empresa nas quais os eleitos são sócios.

Com a maior dívida contraída em nome de pessoa jurídica, o senador reeleito pelo Pará, Jader Barbalho (MDB), acumula 57 milhões e setecentos mil reais em débitos. Em segundo lugar, como pessoa física, aparece o estreante Oriovisto Guimarães, do Podemos. Com patrimônio declarado de R$ 239 milhões, o novo senador deve 5 milhões e quinhentos mil reais.

Além de dívidas com a União, alguns senadores também respondem a ações movidas na Justiça do Trabalho, como é o caso de Eduardo Girão (PROS), eleito pelo Ceará. O parlamentar é alvo de cinco processos por meio de companhias dos ramos de segurança e distribuição. As ações tramitam no Tribunal Regional do Trabalho da 3.ª Região (TRT-3), em Minas.

Reportagem, Lorena Fraga