Projeto vai atender 40 crianças e adolescentes nesta primeira fase, mas já se estuda a ampliação deste número

A Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Seped) iniciou, na manhã desta quinta-feira (11/07), a primeira turma de Cinoterapia. A aula inaugural teve a participação da primeira-dama do Estado, Taiana Lima, de secretários estaduais e da deputada estadual Joana Darc.

“O Governo está aqui para ajudar e apresentar projetos como esse, que beneficiam as pessoas com deficiência. O projeto já é um sucesso e, agora, é trabalhar para que possamos ampliar cada vez mais”, disse a primeira-dama.

O projeto será realizado em parceria com o Corpo de Bombeiros do Amazonas (CBMAM) e vai atender 40 crianças e adolescentes com deficiência, ajudando-as no estímulo sensorial – motor e cognitivo. Nesta primeira fase, a cinoterapia, que é um método terapêutico realizado com o auxílio de cães, terá como público-alvo pessoas com autismo, síndrome de Down e/ou paralisia cerebral.

“Nossos cães foram treinados, primeiramente, para busca e resgate em ambiente de selva e em estruturas colapsadas, mas trabalhamos com eles essas situações do contato com crianças. São cães dóceis e isso facilita a interação. Eles são como um interlocutor da criança com o meio ambiente”, explicou o coronel do Corpo de Bombeiros, Danízio Valente.

As turmas terão atividades durante 45 minutos, acompanhadas por uma equipe multidisciplinar que, além do cão e do cinotécnico, contará com um profissional de educação física e um fisioterapeuta.

“O que a secretaria está procurando fazer nesta primeira fase é sentir a demanda da sociedade. A cinoterapia estava numa fase terminal por falta de quem abraçasse o projeto. Mas, a partir de agora, é sentar com a equipe técnica e pensar na ampliação, conforme o Corpo de Bombeiros disponibilize os cães, estudando uma forma de que não precise finalizar uma turma e iniciar outra, oportunizando que eles sigam sendo assistidos, de forma constante”, pontuou a titular da Seped, Viviane Lima.

Expectativa – Alice dos Santos, de 13 anos, tem síndrome de Down e é filha da dona de casa Regiane Feitosa, de 43 anos. Para a mãe da menina, a expectativa é que a cinoterapia deixe Alice mais tranquila.

“Espero que o projeto deixe minha filha mais calma. Em casa, temos dois cachorros e foi isso que me fez despertar para a melhora dela em relação ao carinho, ao abraço”, contou Regiane, completando que o primeiro contato da menina com os cães do Corpo de Bombeiros a surpreendeu bastante. “Achei que ela fosse ficar assustada pelo porte dos animais, mas ela ficou encantada por eles”.

Madrinha das causas – Desde que conheceu o projeto, a deputada Joana Darc não mediu esforços para que o projeto saísse do papel. A parlamentar se comprometeu a custear os serviços direcionados aos cinco cachorros que irão participar da cinoterapia. Dentre a ajuda, estão itens como acompanhamento veterinário, banho, tosa, alimentação, por exemplo.

“Eu fico muito feliz em ser madrinha desse projeto. Algo que a gente pensou e dedicou amor, carinho e atenção. Hoje, temos uma sala na Seped que muito representa uma luta, de pelo menos uma década, da causa animal. É importante dizer que, além de ajudar, eles também são ajudados porque passam a ser animais mais bem cuidados e parceiros, onde buscamos políticas públicas para dar total suporte para estes animais. Unimos os dois mundos: da causa animal e da pessoa com deficiência. Hoje é um dia para se comemorar”, vibrou a parlamentar.

Lista de espera – Com o número atingido para o início da primeira turma, a Seped faz agora um cadastro para a lista de espera. As pessoas que queiram fazer parte do projeto devem fazer o cadastro na sede da Seped, localizada na rua Salvador, 456, bairro Adrianópolis, em horário comercial. Além da documentação pessoal, é necessário trazer comprovante de residência e laudo médico.

FOTO: DIEGO PERES/SECOM E GUSTAVO LEITE/SETRAB