Seria Lázaro um psicopata?

Neurocientista revela como funciona a mente de um criminoso como Lázaro. E como ela deve ser estudada para compreender a mente fria e extremamente racional dessas pessoas.

Nos últimos dias, o noticiário policial brasileiro dedicou grande parte de seu conteúdo à caçada pelo “Serial Killer do DF”, Lázaro Barbosa. Se por um lado diversos memes se espalharam enquanto o criminoso estava foragido, por outro uma questão muito mais séria passou a ser amplamente comentada na mídia ao se tratar deste caso: Afinal, Lázaro era um psicopata?

Segundo o PhD, neurocientista, neurofilósofo e biólogo Fabiano de Abreu, “diagnosticar como psicopata é prematuro demais. Há possibilidades devido ao comportamento. Mas há pormenores que devem ser analisados. É uma responsabilidade muito grande um profissional da saúde fornecer confirmações sem ter entrevistado o paciente”.

Uma das características destas pessoas, revela Abreu, é que “eles não apresentam emoções ou compaixão, nem culpa pelo que fazem. E exatamente por serem totalmente racionais, conseguem usar sua inteligência de forma mais eficiente do que as outras pessoas. As pessoas comuns usam da emoção ao tomarem suas decisões, e os psicopatas não fazem isso”, explica.

Cérebro diferenciado

Sim, o cérebro de um psicopata possui uma estrutura diferente em relação às pessoas comuns, observa Fabiano. “Criminosos como Lázaro possuem menos conexões entre o córtex pré-frontal ventromedial (vmPFC), que é a parte responsável por sentimentos como empatia, culpa, e a amígdala, que é relacionada ao medo e ansiedade”.

“Nos casos dos psicopatas, essas duas áreas parecem que não se comunicam como deveriam, o que pode ajudar a compreender essa insensibilidade deles”, acrescenta o neurocientista. Além disso, Fabiano lembra que um estudo feito pelo professor de psicologia Joseph Newman e pelo professor assistente de psiquiatria Michael Koenings vai de encontro a essa teoria e explica a diferença presente no cérebro dos psicopatas: “A tomada de decisão dessas pessoas é semelhante à de pessoas que tiveram danos em seu vmPFC, e isso reforça que a psicopatia está ligada a essa parte do cérebro. Há uma anormalidade específica do cérebro com a psicopatia criminal que certamente ainda poderá explicar o comportamento de muitas pessoas como Lázaro que podem existir por aí”, completa.

Créditos – Foto: Divulgação / MF Press Global