O Serviço Social da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Saúde (Susam), irá ampliar os atendimentos sociais aos pacientes oncológicos internados nas enfermarias, a partir do dia 21 de janeiro. A meta é visitar as 28 enfermarias distribuídas pelos quatro andares da unidade hospitalar, que é referência na região Norte no tratamento de neoplasias.

Os atendimentos sociais às enfermarias consistem em detectar problemas sociais, que passaram despercebidos na ocasião da entrevista social no ambulatório. O atendimento será realizado três vezes durante a semana, no horário da tarde.

Os atendimentos sociais consistem em entrevistas com pacientes ou familiares. Na ocasião, é feito o mapeamento sobre as demandas das famílias, como desemprego, conhecimento sobre direitos previdenciários e sociais, funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS), entre outros. “As informações irão compor o relatório social e direcionará as ações que serão tomadas pelo Serviço Social quanto ao paciente”, explicou a chefe do serviço, Maria Célia Viana Cidrônio.

De acordo com Célia Viana, a entrevista social é realizada nas enfermarias, todavia de forma esporádica após solicitação do médico, da enfermeira ou do familiar, em situações específicas. Ela explicou que há casos em que o paciente não passa pela triagem ambulatorial ou pelos serviços de Emergência e de Internação. “Temos o exemplo dos pacientes vindos de outros hospitais que, às vezes, chegam fora do horário de atendimento do setor. A própria característica do paciente oncológico contribui para que pule etapas”, disse.

Novos servidores – A ampliação do serviço às enfermarias de forma contínua, segundo Célia Viana, será possível devido a entrada de duas assistentes sociais por meio do concurso público da Susam de 2014, são elas: Keith Fabíola de Lima Fonseca Bentes e Jordana Rafaele Nogueira da Silva, que assumiram, respectivamente, os atendimentos na Emergência e Ambulatório. Hoje, o quadro é composto por seis assistentes sociais.

Há cinco meses à frente do serviço de Emergência, Keith Bentes disse que diariamente atende 17 pacientes e é responsável pelo relatório social. “Identificamos pacientes em situação de abandono familiar – afetivo ou financeiro –, que são encaminhados ao serviço de Psicologia e repassamos orientações sobre os benefícios sócio assistenciais”, salientou.

Ampliação de horário – A incorporação de novos servidores possibilitou a ampliação do horário de atendimento, segundo Célia Viana. “Antes tínhamos que interromper o atendimento às 13h, com a troca de turno e o horário de almoço. Não paramos mais, pois passamos a atender no horário intermediário, das 11h às 17h”, pontuou.

Reforço de serviços – De acordo com a diretora-presidente da FCecon, Ana Paula Lemes, a chegada dos aprovados no concurso público reforçou vários serviços hospitalares, entre eles os setores de Compras, Recursos Humanos (RH), Orçamento e Finanças, Laboratório de Anatomia Patológica, Oncologia Clínica, etc. “Foi possível agilizar processos administrativos, entrega de resultados de exames e a recepção ao paciente de forma humanizada, conforme preconizado pelo SUS”, lembrou.

Números – O Serviço Social registrou o aumento de 18% no número de atendimentos no período de janeiro a novembro de 2018, comparado ao mesmo período de 2017. Os atendimentos passaram de 16.304 em 2017 para 19.254 em 2018.

Atendimentos – A equipe também atende as demandas dos serviços de Terapia da Dor e Cuidados Paliativos, Clínica Oncológica, Unidade de Internação e Cirurgias, além de dar suporte na Quimioterapia e Radioterapia. São feitos 70 atendimentos diários, nos quais são realizadas triagens e avaliações socioeconômicas para doações, como de cestas básicas, alimentação, kits de oxigênio, etc.