Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

Servidores da UGPE integram força-tarefa do Governo do Estado na linha de frente contra a disseminação da Covid-19

Os servidores da UGPE realizam o atendimento psicossocial aos familiares dos pacientes internados, distribuem EP’IS nos setores sociais dos hospitais, auxiliam na central de distribuição de medicamentos, entre outras atividades.

Assistentes Sociais, psicólogos, engenheiros civis, ambientais, arquitetos e técnicos da Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), reforçam a força tarefa montada pelo Governo do Estado no combate a disseminação da Covid-19 e nos atendimentos em hospitais e Serviços de Pronto Atendimentos (SPA).

Os cerca de 60 servidores voluntários, estão divididos nas tendas de atendimento montadas na frente dos grandes hospitais, auxiliando a triagem dos casos suspeitos, realizando o acolhimento dos familiares de pacientes internados na rede hospitalar estadual, fornecendo informações sobre o estado de saúde dos mesmos, agendando os horários para o recebimento dos boletins diários, assim como, prestando o atendimento psicossocial aos familiares que necessitam, e auxiliando com informações para os familiares de pacientes que vieram a óbito acerca do SOS funeral.

As tendas de acolhimento e atendimento psicossocial estão localizadas no Hospital 28 de Agosto, no Centro Espirita Alan Kardec que cedeu o espaço para o trabalho dos servidores, e nos hospitais Platão Araújo e João Lúcio.

A tenda localizada na frente da emergência do Hospital 28 de Agosto, realiza o acolhimento dos familiares de casos de Covid que suspeitam estarem contaminados, realizando uma triagem desses pacientes através da análise dos sinais vitais, tais como a saturação de oxigênio, pressão arterial e batimentos cardíacos, encaminhando os mesmos para o atendimento médico quando necessário.

A dona de casa, Roberta Neves, salientou que estava muito nervosa por causa da internação do seu esposo, e que assim que passou pela triagem e seus sinais estavam normais, foi encaminhada para as tendas de acolhimento.

“Eu fui muito bem atendida aqui na tenda, as funcionárias buscavam me acalmar e me ajudar a ter informações sobre a situação do meu esposo que precisou ser internado. Elas me informaram os horários que posso receber os boletins e que sempre precisar de auxílio nas informações posso retornar aqui”, afirmou a dona de casa.

Os engenheiros e arquitetos vêm somando aos esforços da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), na elaboração de projetos estruturais para a otimização dos espaços dos hospitais e unidades de pronto atendimento, no intuito de se criar mais leitos devido ao grande aumento da demanda de internações por conta do Covid-19.

A subcoordenadora social da UGPE, Viviane Dutra, afirma que as tendas de atendimento psicossocial têm a intenção de auxiliar os familiares no apoio informativo sobre o estado dos pacientes para os familiares que não podem ficar no interior das unidades hospitalares.

“Nas tendas de atendimento psicossocial é um lugar em que os familiares podem se sentar adequadamente, beber água, utilizar o banheiro caso necessitem e principalmente, é um lugar mais seguro, longe do espaço de grande contaminação das unidades hospitalares. Onde a gente busca ir acalmando esses parentes, diminuindo a ansiedade e aproximando esse acompanhante que está do lado de fora do seu parente que está internado”, afirmou, Viviane.

O coordenador executivo da UGPE, Marcellus Campêlo, ressalta que os acolhimentos aos familiares de pacientes internados e o atendimento psicossocial realizado nas tendas, visam diminuir a sobrecarga na demanda de informações das equipes médicas que nesse momento se encontram ocupadas em atender os pacientes.

“Os servidores da UGPE, assim como, toda a estrutura da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) e os órgãos que compõem o Governo do Estado, estão trabalhando incansavelmente na força tarefa em combate a disseminação da Covid-19. Estão dando sua contribuição na ampliação do número de leitos, nas frentes dos hospitais, nos setores sociais, na triagem de pacientes e na central de medicamentos”, afirmou Campêlo.

FOTO: Tiago Corrêa – UGPE

-publicidade-