Vivendo situação caótica, sem poder pagar os compromissos há vários meses, os servidores da empresa SENO que prestam serviço terceirizado para Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ), bairro Cachoeirinha, na Zona Sul da capital, vão parar as atividades nesta sexta-feira (01).

Os trabalhadores atuam no Centro de Hemodiálise Francisco de Assis Farias Rodrigues da unidade de saúde, que atende mais de 300 pacientes.

A paralisação é por conta de cincos meses que salários atrasados. Como a Secretaria de Estado de Saúde (SUSAM) não paga a fornecedora, no caso a SENO, os terceirizados também são penalizados e não recebem. “Voltei a morar com minha mãe, com toda a minha família, pois não tenho como pagar as contas. Voltei a depender dela, já que não tenho dinheiro para nada”, conta um trabalhador que pediu para não ter o nome divulgado, para evitar represálias.

Caso os servidores cumpram a promessa, os pacientes que fazem diálise na Fundação Hospital Adriano Jorge serão os maiores prejudicados, pois o tratamento é vital para a saúde deles. Uma manifestação está programada para ocorrer em frente à unidade de saúde, a partir das 8h.

Nota da SUSAM

A Susam informa que já iniciou o processo de pagamentos dentro da decisão do Estado, comunicada publicamente, de que, dos R$ 108 milhões disponíveis para todas as secretarias em janeiro, a maior parte, R$ 65,7 milhões, vai para a Saúde. E, para que nenhum trabalhador fique sem receber, o pagamento referente a dezembro será proporcional. O compromisso do governo, também já tornado público, é de que as despesas correntes desse ano sejam pagas, estacando o acúmulo de dívidas que aconteceu em anos anteriores.