Amazonas Notícias

Sessão solene na CMM homenageia os 27 anos da Escola de Serviço Público Municipal 

Fundação Escola de Serviço Público Municipal

A Escola de Serviço Público Municipal e Inclusão Socioeducacional (Espi), da Prefeitura de Manaus, foi homenageada, nesta quinta-feira, 6/7, em sessão solene no plenário da Câmara Municipal de Manaus (CMM), na avenida Padre Agostinho Caballero Martin, nº 850, Santo Antônio, zona Oeste da cidade, pelos 27 anos de sua implementação.

Participaram da sessão especial, gestores, servidores e ex-diretores da Espi, além do secretário municipal de Administração, Planejamento e Gestão, em exercício, Márcio Rys Meirelles; o diretor-geral, Júnior Nunes; alunos de capacitações promovidas pela escola; e convidados.

“Tem sido uma responsabilidade dos gestores a preocupação, o compromisso em buscar a qualificação dos servidores, dos cidadãos de Manaus. O papel da prefeitura, na gestão do prefeito David Almeida, passa por um compromisso social, aí incluída a busca pela qualificação profissional”, ressaltou Márcio Meirelles.

A escola foi criada em 1990, mas só começou a funcionar seis anos depois, em 1996, como Fundação Escola de Serviço Público Municipal.

A partir de 2013, em reestruturação administrativa da Prefeitura, foi feita a fusão com a Fundação Municipal de Inclusão Socioeducacional, passando a existir a Espi, que tem status de subsecretaria, vinculada à Secretaria Municipal de Administração, Planejamento e Gestão (Semad).

Até 2014, a Espi tinha como foco exclusivo a capacitação dos servidores municipais. A partir de 2015, suas ações foram ampliadas e a Escola passou a alcançar, também, agentes públicos e políticos do município, atendendo a demandas de cursos apresentadas pelas comunidades da cidade.

Ao fazer uma retrospectiva desde a criação da escola, o diretor-geral, Júnior Nunes, destacou os avanços da instituição. “Nesses 27 anos foram grandes avanços e grandes mudanças. A escola de serviço público tem apresentado, na gestão do prefeito David Almeida, resultados altamente positivos, tanto nas capacitações quanto nas bolsas”, apontou.

A Espi é a gerenciadora de três Programas de Inclusão Socioeducacional: Bolsa Universidade, Bolsa Pós-Graduação e Bolsa Idiomas, voltados para pessoas que não têm condições financeiras para custear um curso. Todos ofertam bolsas em instituições de ensino particulares, que podem ser integrais (100%) e parciais (75% e 50%).

O autor da propositura da homenagem foi o vereador Doutor Eduardo Assis (Avante). “Devemos reconhecer o trabalho e a dedicação de todos os servidores da Espi, de seus gestores e corpo técnico, oferecendo cursos, qualificações e as bolsas de estudo. A consequência final disso é que pessoas que estavam desempregadas, hoje conseguem uma nova colocação porque estão melhor qualificadas”, justificou.

Espi em números

Até hoje, a Espi já capacitou, gratuitamente, cerca de 118 mil pessoas, entre servidores e comunitários, presencialmente e também na modalidade de Ensino a Distância (EaD), que passou a oferecer a partir de setembro de 2014.

Atualmente, está em curso o MBA em Gestão de Pessoas semipresencial, com 45 servidores públicos municipais em Cargos em Comissão, Estatutário e CLT, aprovados no processo seletivo, especialização que está sendo realizada por meio de convênio firmado com Universidade do Estado do Amazonas (UEA), a partir da iniciativa do secretário Ebenezer Bezerra.

Desde 2009, o programa Bolsa Universidade já possibilitou o acesso de 114.383 pessoas ao ensino superior.

Iniciado em 2015, o programa Bolsa Pós-Graduação permitiu a 15.929 pessoas o acesso a esses cursos.

E o programa Bolsa Idiomas, que de 2013 a 2022, registrou 32.877 pessoas de famílias de baixa renda, ingressando em cursos de idiomas com bolsas de 50%, 75% e até as de 100%, integrais. O processo deste ano ainda não foi finalizado.

— — —

Texto – Sandra Monteiro / Semad-Espi

Fotos – Phil Limma/Semcom

Relacioandos