Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

Sindicato dos Trabalhadores em Educação contesta número de vacinados e anuncia paralisação para o dia 18 de maio em Manaus

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (SINTEAM) está contestando os dados de vacinação entre os professores divulgados ontem pela secretária municipal de saúde, Shádia Fraxe. Ela afirmou, ontem, em entrevista coletiva, que o estudo Covac já vacinou aproximadamente 5 mil trabalhadores de um universo de mais de 16,1 mil servidores municipais da educação. No entanto, em relatório enviado hoje,6, ao sindicato, a coordenação do estudo mostra que, da SEMED, 1595 pessoas receberam a vacina e, da SEDUC, 1350 estão imunizadas.

“É preocupante pois a prefeitura planeja retomar as aulas presenciais no dia 18 de maio mas usa o número geral de imunizados, incluindo SEDUC, ensino superior e particulares. O número de vacinados na SEMED não chega nem a 10% do total de trabalhadores. Isso pode confundir a população”, disse a presidente do sindicato, Ana Cristina Rodrigues.

O SINTEAM é contra o retorno das aulas sem a imunização – com as duas doses de vacina e respeitando o período necessário para a eficácia da mesma. Em assembleia com trabalhadores da SEMED foi aprovada paralisação no dia 18 na rede municipal de ensino. O sindicato também fez blitz em escolas das zonas norte, leste e sul e identificou problemas estruturais e fora do protocolo de saúde na prevenção contra o coronavírus. “As escolas não estão preparadas para receber nem os trabalhadores nem as crianças. Totem de álcool em gel não resolve. É preciso ter circulação de ar, aferição de temperatura na entrada, pias para a higienização das mãos na entrada, sinalização em toda a escola. Não foi esse o cenário que encontramos”, disse a presidente.

Ela enviou o relatório das visitas ao Ministério Público do Trabalho, ao Ministério Público do Estado e à Câmara Municipal de Manaus.

-publicidade-