Sinésio Campos também assina CPI da Asfixia no Amazonas

Na manhã desta terça-feira (6), durante Sessão Plenária na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), o deputado estadual Sinésio Campos (PT) assinou o pedido de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Asfixia, que trata especificamente dos atos administrativos referentes à crise de fornecimento de oxigênio, nas unidades de saúde, durante a segunda onda da Covid-19, no Amazonas. A CPI da Asfixia foi proposta pelo Delegado Péricles Rodrigues (PSL).

A CPI da Asfixia pretende apurar a falta de fornecimento de oxigênio medicinal para as unidades de saúde do Amazonas, impossibilitando a preparação do Poder Executivo Estadual para atender a alta demanda; analisar se houve omissão dolosa ou culposa por meio da secretaria de Saúde do Amazonas, com relação à ausência de oxigênio nas unidades de saúde; investigar se houve descumprimento contratual por parte das empresas fornecedoras de oxigênio medicinal, contratadas pelo poder executivo estadual e avaliar se houve omissão dolosa ou culposa das empresas fornecedoras de oxigênio medicinal, nos hospitais e SPAs.

“Queremos uma CPI que trate especificamente da falta de oxigênio, das pessoas que aguardam por respostas e responsabilização dos envolvidos nesse genocídio que, infelizmente, alcança mais de treze mil óbitos, no Amazonas. Analisamos os pontos dessa CPI de maneira criteriosa, até porque não colocaria a minha assinatura apenas para fazer proselitismo político, queremos defender a vida e dar uma resposta para quem sentiu na pele o que é perder um conhecido, um amigo ou um irmão como eu perdi”, argumentou o deputado Sinésio Campos.

A CPI da Asfixia estabelece o prazo de cento e vinte dias para a investigação e a conclusão dos trabalhos, referentes à falta de oxigênio, no Amazonas.

Assessoria de Comunicação