Sinteam pede do Governo do Estado da Prefeitura de Manaus de antecipação da segunda dose de vacina para trabalhadores da educação

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam) formalizou pedido ao Governo do Estado e à Prefeitura de Manaus de antecipação da segunda dose da vacina para os trabalhadores da educação do estado do Amazonas, seguindo o intervalo mínimo entre as doses, uma vez que as aulas das redes municipal e estadual de ensino foram retomadas nos dias 19 e 31 de maio, respectivamente, sem que fosse feita a devida imunização da categoria como preconizam a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, as bulas das vacinas e as autoridades de saúde.

 A Anvisa informa que os imunizantes podem ser aplicados com intervalo mínimo de duas semanas entre as doses, dependendo da vacina, conforme nota técnica em anexo. A saber:

Vacina Covid-19 (Recombinante) Fiocruz/Astrazeneca: intervalo de 4 a 12 semanas entre a primeira e a segunda dose. Análises exploratórias demonstraram uma eficácia de 69,2% a partir de 22 dias após a primeira dose, no entanto recomenda-se que indivíduos que receberam uma primeira dose da vacina covid-19 (recombinante) concluam o esquema de vacinação com a vacina covid-19 (recombinante).

Vacina adsorvida covid-19 (inativada) Coronavac/Butantan: intervalo de 2 a 4 semanas entre a primeira e a segunda dose. O esquema vacinal completo com duas doses é necessário para obter a resposta imune esperada para a prevenção de COVID-19. A proteção em indivíduos com esquemas incompletos não foi avaliada nos estudos clínicos;

Vacina Comirnaty Wyeth/Pfizer: intervalo maior ou igual a 3 semanas. Os indivíduos podem não estar protegidos até pelo menos 7 dias após a segunda dose da vacina.