Escolas municipais das zonas Oeste, Leste, Centro-Oeste e Centro-Sul estão fechando suas atividades noturnas e prejudicando alunos e trabalhadores da educação. O funcionamento no turno da noite, geralmente, atendia às turmas da Educação de Jovens e Adultos. A afirmação é do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam), cujo levantamento prévio dá conta de que pelo menos cinco escolas encerraram as atividades à noite, deixando mais de 75 profissionais extralotados. “A Semed (Secretaria Municipal de Educação) quer lotar esses trabalhadores em lugares bem mais longes”, declarou o presidente do Sinteam, Marcus Libório.
O problema, segundo o sindicato, é que os últimos concursos – de 2008 e 2011 – ofereciam vagas por zona da cidade. Portanto, os profissionais deveriam ser lotados nas zonas escolhidas no certame. “A prefeitura precisa buscar uma solução dentro do que ofereceu. Não dá pra mudar as regras do jogo depois que ele começou”, enfatizou Libório.

O professor de Geografia Jorge Alencar lamenta a decisão da Semed. “O fechamento de escolas significa que ou essa escola está superlotada ou tem estudante fora da sala de aula”, disse ele, cujo problema é ainda maior já que ele é concursado da Seduc para 40 horas e da Semed para 20h.

Analfabetismo

De acordo com o censo de 2010 do IBGE, havia mais de 16,7% de pessoas de 60 anos ou mais que não sabem ler ou escrever. Na faixa etária de 40 a 59 anos, a taxa é de 5,2%, entre os que tinham 25 a 39 anos, 1,9% eram analfabetos.

O Programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA) atende essas pessoas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here