Um ano para ficar na história do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Amazonas. Assim, o presidente da FIEAM, Antonio Silva, definiu 2014, marcado, principalmente, por duas importantes aquisições que já começaram a melhorar o atendimento ao trabalhador da indústria e seus dependentes: o Barco-Escola SENAI Samaúma 2 e o Centro Integrado de Educação SESI SENAI Padre Francisco Luppino, no município de Parintins. Silva festejou o crescimento de 22,56% do atendimento do SENAI e de 15,48% do SESI, este, na área de educação básica e continuada.

Silva destacou entre os fatos que marcaram 2014, as negociações com empresários peruanos para estabelecer uma parceria comercial importante entre o Peru e o Polo Industrial de Manaus (PIM). Uma das propostas discutidas é o estabelecimento de um corredor de transporte na rota Ásia – Callao – Iquitos – Manaus, como via de entrada de insumos e saída de bens industriais produzidos no PIM, diminuindo custo e tempo de viagem.

Segundo Antonio Silva, a prorrogação do modelo Zona Franca de Manaus, por mais 50 anos, deve figurar entre os fatos que marcaram a economia local, em 2014, porque pode nos ajudar a fazer do Amazonas um lugar melhor e mais justo.

Antonio Silva disse ainda que é preciso continuar reagindo aos ataques contra o modelo Zona Franca de Manaus, tanto internos quanto externos, como o desferido pela União Europeia contra a política de incentivos fiscais do governo brasileiro, particularmente, quanto à ZFM.

O presidente do Sistema FIEAM destacou alguns pontos nas atividades do Serviço Social da Indústria (SESI), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e Instituto Euvaldo Lodi (IEL) em 2014:

SENAI

Mais de 47 mil alunos matriculados e inauguração do Samaúma 2

Para acompanhar o avanço da indústria amazonense, contribuindo para que seja mais competitiva e sustentável, o SENAI Amazonas ampliou a oferta de cursos profissionalizantes, inaugurou os Laboratórios Aberto em Microeletrônica, Solda e Caldeiraria e o Barco-Escola Samaúma 2 no decorrer de 2014. A instituição investiu em infraestrutura, empregando recursos em construções e reformas das unidades operacionais, mobiliários, máquinas e equipamentos.

A meta em matrículas estipulada pelo Departamento Nacional da instituição que previu 38.523 foi superada, computando o registro de 47 mil jovens e adultos inscritos nos cursos do SENAI Amazonas. Em comparação a 2013, a instituição cresceu 22,56% na formação de trabalhadores para a indústria amazonense. Foram ofertados cerca de 200 cursos em eletroeletrônica, metalomecânica, construção civil, alimentos, confecção do vestuário, entre outros segmentos.

A oferta de cursos gratuitos também aumentou. Em parceria com a instituição local, o Governo Federal subsidiou 7 mil vagas sem custos repassados para o aluno, dando continuidade ao Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Tratando-se da gratuidade regimental prevista anualmente pela instituição, 67% dos recursos compulsórios arrecadados pela indústria do Amazonas ao SENAI foram aplicados na oferta de 9.514 vagas gratuitas.

Outro grande feito da instituição em 2014 foi o reconhecimento do processo de excelência do ensino/aprendizagem promovido por técnicos e instrutores do SENAI Amazonas, sendo evidenciado na participação de alunos amazonenses no maior torneio de educação profissional das Américas, a Olimpíada do Conhecimento, ocorrida em setembro, em Belo Horizonte, Minas Gerais, onde os jovens competidores do SENAI AM conquistaram medalhas de ouro em vitrinismo, prata em mecatrônica e excelência em tecnologia da moda.

Em serviços técnicos e tecnológicos (STT), especialista em diversas áreas industriais do SENAI Amazonas promoveram 643 soluções tecnológicas e consultorias para 205 empresas. A prestação destes serviços em 2014 representou um avanço de 15% no atendimento à demanda do Polo Industrial de Manaus (PIM) comparado ao ano passado.

Educação Profissional

O SENAI lançou novos cursos em 2014 nas cinco unidades operacionais instaladas em Manaus, quatro nos municípios de Coari, Iranduba, Itacoatiara e Parintins, duas carretas e nos dois Barcos-Escolas Samaúma.

Na mais nova Escola Integrada SESI SENAI do Sistema FIEAM, na unidade operacional de Parintins, foram efetivadas 757 matrículas. Os munícipes passaram pela qualificação em 22 ocupações profissionais na moderna instalação.

Na ação itinerante em cidades à margem dos rios da Amazônia, a unidade fluvial Samaúma passou 2014 no Estado do Amapá, certificando 2.671 munícipes de Macapá e Santana em 18 cursos profissionalizantes. A previsão é que o Samaúma continue ali suas atividades no decorrer de 2015.

Barco-Escola SENAI Samaúma 2

O Barco-Escola SENAI Samaúma 2 foi inaugurado pela FIEAM e CNI (Confederação Nacional da Indústria), em fevereiro deste ano pela presidente Dilma Rousseff. Um obra com duração de três anos e investimento de R$ 13 milhões, o Samaúma 2 possui quatro salas de aula, sete laboratórios e oficinas e capacidade para oferecer até 34 cursos embarcados e desembarcados.

O início de suas atividades ocorreu no último dia 11 do mês corrente, em Tefé, município que novamente foi contemplado para receber a aula inaugural da ação móvel fluvial do SENAI Amazonas, pois em 1979, há 35 anos, o Samaúma aportou no município para promover o ensino profissional. De lá pra cá, a tripulação do barco-escola certificou 50.791 alunos em mais de 20 ocupações profissionais e possibilitou o acesso à cidadania e qualidade de vida para populações distantes das capitais da Região Norte.

A expectativa para essa primeira ação do Samaúma 2 é de qualificar 700 alunos até fevereiro de 2015 nos 22 cursos que estão sendo ofertados em Tefé. Após a conclusão desta ação, está previsto o atendimento no município de Tapauá, seguindo um cronograma de disseminar o conhecimento pelos portos dos municípios amazonenses localizados nas calhas dos Rios Solimões e Purus.

Serviços Técnicos e Tecnológicos

A medida da criação da Gerência de Tecnologia e Inovação do SENAI Amazonas ocorrida neste ano tem como objetivo estreitar o relacionamento com o setor produtivo, atendendo à missão da instituição de também promover a inovação e a transferência de tecnologias industriais para elevar a competitividade da indústria.

Foram criadas soluções industriais para às fábricas do PIM através dos Núcleos de Serviços Tecnológicos nas temáticas específicas de meio ambiente, metalmecânica, alimentos e bebidas, automação e energia, metrologia e instrumentação, construção civil, e inovação tecnológica.

O SENAI continuou com o acompanhamento do desenvolvimento da gestão da inovação de 35 empresas que no decorrer deste ano e de 2013 receberam capacitação em gestão da inovação, diagnóstico/elaboração do plano de inovação, implantação do plano de inovação e apoio na elaboração de projetos. Essa iniciativa é realizada pelo Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação no Amazonas (Nagi) em parceria com a Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica (Fucapi), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a FIEAM.

Laboratório Aberto

Para estimular ainda mais a cultura da inovação na indústria brasileira, o SENAI Amazonas foi um dos 10 Departamentos Regionais que lançou o Laboratório Aberto. A iniciativa inaugurada em novembro vai oferecer laboratórios para que empreendedores com boas ideias desenvolvam projetos inovadores e realizem prototipagem de produtos.

O Laboratório Aberto do SENAI Amazonas abrangerá as áreas de eletroeletrônica com foco em automações e soluções industriais, panificação, metalomecânica e construção civil, atendendo empresas startups instaladas em incubadoras, empreendedores e empresas individuais com registro de Microempreendedor Individual (MEI).

A proposta do Laboratório Aberto é facilitar o acesso a equipamentos, softwares e centros de aprendizagem a novos empreendedores, fomentando assim o avanço brasileiro na competitividade e sustentabilidade da indústria nacional.

As ações e os serviços neste novo espaço são oferecidos à indústria por meio de parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

SESI

Crescimento contínuo como vocação

O Serviço Social da Indústria (SESI) fechou 2014 com números expressivos no atendimento das áreas de educação, saúde, lazer e responsabilidade social, conforme a missão da instituição de promover a qualidade de vida do trabalhador da indústria e de seus dependes.

Para a diretora técnica do SESI, Rosana Vasconcelos, os resultados conquistados nos últimos anos atestam que crescer continuamente é o maior desafio, mas também a vocação do SESI, preservando a essência institucional e ampliando substancialmente o atendimento à demanda da indústria por mão de obra qualificada.

Segundo Rosana, o SESI tem como uma de suas propostas preparar crianças e jovens para o mundo do trabalho, desenvolvendo soluções para a indústria na promoção de ambientes seguros e saudáveis, assegurando a produtividade do trabalhador e a competitividade do segmento. “Na esteira do processo de aprimoramento institucional, há também um desafio continuo, de otimizar nosso modelo de gestão, fazendo com que as pessoas administrem processos e não que os processos conduzam o trabalho das pessoas, maximizando a eficiência, a celeridade, controle e interação na entrega de soluções institucionais”, disse a diretora.

Na área de Educação, o SESI atende em sua rede de ensino, da creche ao ensino médio, com três unidades de ensino em Manaus, e outras três nos municípios de Itacoatiara, Iranduba e Parintins, além de levar formação ao trabalhador fora da sala de aula por meio da Educação de Jovens e Adultos (EJA), que atende o trabalhador na própria empresa, e da Educação Continuada, que oferece vários cursos.

Programas complementares

A gerente de Educação do SESI, Rita Machado, destacou a realização de dois programas complementares em 2014, o Conexão Mundo e o Torneio de Robótica, que contribuem com o desenvolvimento pedagógico e humano dos alunos, para inserção no mundo do trabalho. Segundo a gerente, o Conexão Mundo, voltado para desenvolvimento de língua estrangeira, no caso, a língua inglesa, com ênfase em conversação, certificou este ano 26 alunos da Escola SESI Émina Barbosa Mustafa, entre os quais, dois foram selecionados para representar o Amazonas num grupo de 200 jovens, em intercâmbio nos Estados Unidos.

Com relação ao ensino de robótica, Rita Machado disse que os alunos encontram nessa atividade maior motivação para desenvolver a capacidade de trabalhar em equipe e apresentar projetos que realmente tenham utilidade para a comunidade. “Pedagogicamente, a proposta de trabalharmos a robótica em sala de aula, como ferramenta de trabalho, possibilitou aos professores maior acessibilidade aos alunos e ao desenvolvimento das habilidades e competências de maneira completa”, destacou.

Este ano, a área de Educação atendeu 26.348 alunos, o que representou um crescimento de 15,48% em relação a 2013, em função principalmente ao início das atividades do Centro Integrado de Educação SESI SENAI Padre Francisco Luppino, em Parintins, que abriu mais 400 vagas na educação infantil e no ensino fundamental.

Qualidade de vida

A área de Saúde beneficiou trabalhadores e comunidade com vários serviços de assistência médica e odontológica oferecidos na sede do SESISAÚDE, no Centro, além de programas que beneficiam o trabalhador no próprio local de trabalho, como Saúde da Mulher e Homem Saudável. No total, foram realizados 621.924 atendimentos, com uma evolução de 10,03% em relação a 2013.

Na área de Lazer, que tem como principal palco o Clube do Trabalhador do Amazonas, o SESI concentrou seu atendimento ao trabalhador, seus dependentes e comunidade por meio de programas, como Jogos SESI, Lazer Ativo, Atletas do Futuro e Esporte e Cidadania, além da formação esportiva e cultural.

O SESI também desenvolve programas diretamente no local de trabalho dos industriários, como o SESI Ginástica na Empresa e programas sobre qualidade de vida. Em 2014, 132.523 trabalhadores foram beneficiados com as atividades de lazer promovidas pelo SESI.

Na área da Responsabilidade Social, a novidade em 2014 foi a transferência do programa Ação Global para o município de Iranduba, onde foram feitos mais de 58 mil atendimentos. Foi a primeira vez do programa fora de Manaus.

IEL

Superação de metas e qualidade dos serviços

Fazendo um balanço do ano corrente, a área de Educação do Instituto Euvaldo Lodi (IEL Amazonas) superou em metas e qualidade os serviços oferecidos ao mercado. Em seis meses, foram realizados três eventos com palestrantes nacionais, com temas diferenciados, com métodos únicos.

Murilo Gun, que homenageou o mês da indústria, em maio, deu um show de inteligência, conhecimento e descontração com o tema Criatividade Máquina de Resolver Problemas, onde estimulou as empresas a investirem em novas formas de pensar em relação ao negócio, sem perder o foco da missão da empresa. Na modalidade meeting, o IEL trouxe a Monja Coen para falar de gestão sob uma nova ótica, demonstrando as características de se conduzir uma equipe de forma passiva, obtendo resultados de alto impacto. As duas palestras reuniram um público de 530 pessoas. Para o fechamento do ano, o IEL apresentou ao mercado um tema novo, com metodologia diferenciada, realizando um Chá da Tarde com Mentoring Coaching para Mulheres líderes e gestoras. O evento reuniu 120 mulheres de diversos segmentos empresariais.

No ano de 2014, houve também uma grande mudança, tanto estrutural, com o redimensionando dos espaços do IEL. Novo layout, de forma a comunicar melhor aos clientes quem somos nós. Outra aposta forte foi o portfólio do IEL, enfocando o desenvolvimento de lideranças empresariais e atuando em consultoria e treinamentos em gestão de negócios.

A meta prevista para 2014 foi de 1.500 capacitados, mas o resultado, quase que triplicou, formando o quantitativo de 3.487, até o mês de novembro, com um volume de 135 turmas. Tal índice contribuiu para superação da meta, consequência da inclusão dos eventos nacionais, da implementação de um novo portfólio, do replanejamento de metas e da parceria firmada com o Governo Federal.

Além, dos 3.487 capacitados em gestão, foram certificados ainda, 320 alunos participantes do Programa Projovem Trabalhador executado em parceria com o Governo Federal e Secretaria de Estado de Trabalho que tem o objetivo de qualificar jovens social e profissionalmente – através do acesso a conhecimentos gerais, técnicos e sobre direitos humanos (civis, sociais e políticos), possibilitando sua inclusão no mercado de trabalho.

Foram atendidas 244 empresas, sendo que 45% foram indústrias e o restante atendeu empresas nas áreas de serviço, comércio e órgãos públicos.

Inovação e Empreendedorismo

O IEL Amazonas possui uma colocação privilegiada em nível nacional, garantindo espaço com outros estados que em grande maioria são do sul. Assumindo o 5º lugar no Inova Talentos, que visa desenvolver competitividade na indústria por meio da pesquisa e com o compromisso de ser o único do norte a estar no painel IEL/NC, concorrendo como melhor gestor do programa em nível nacional. O Amazonas garante hoje nas empresas o volume de 31 bolsistas só na primeira e segunda chamada, em três níveis de categoria, que vai de graduados, pós-graduados e mestres. O IEL desenvolve todo o acompanhamento do plano de trabalho, tendo a universidade de Havard de Chicago como o parceiro no desenvolvimento dos tutores e bolsistas. O IEL está aguardando o resultado da terceira chamada a ser apresentado em janeiro de 2015.

Também na área de inovação por meio da Rede de Tecnologia – RETEC, atendeu 273 pesquisas estruturadas, entre estas, gerando informação referentes a estudos científicos e bibliográficos; marketing, processo, marcas e patentes, fomento, planos estratégicos, abertura de novos empreendimentos e aquisição de maquinários.

No programa de empreendedorismo, o Conselheiro Master atendeu por meio de sessões de aconselhamentos empresariais 3.115 empreendedores, incluindo empresas juniores, startups, individuais, MPE e EPP.

Estágio

O programa de estágio tem como premissa o aprendizado prático, objetivando uma oportunidade para que os estudantes vivenciem no dia-a-dia da organização os conhecimentos adquiridos em sala de aula. Tem a função de propiciar ao estagiário o aprendizado social, profissional e cultural, tendo como resultado uma reflexão real e futurista dos novos cenários sócio-econômicos. O programa de estágio do IEL, no ano de 2014 atendeu 433 empresas, nos segmentos da indústria, comércio, serviços e órgãos públicos. Tendo cadastrados em seu banco de dados 34.371 , encaminhados 9.081, desenvolvendo 4.563 contratos de estágio, formando 2.150 estagiários nos cursos EAD e 4.160 alunos foram atendidos em feiras e eventos.

No ano de 2014 o programa de estágio passou por 4 (quatro) etapas de reformulação: Processos, Tecnologia, Capacitação e Marketing. Com estas ações de âmbito nacional o estágio do IEL vai se tornar um programa mais competitivo no mercado nacional, pois trouxe melhorias significativas, principalmente na sua base tecnológica, o Sistema Nacional de Estágio, que vem interagir com o mercado, estudante e universidade de forma simultânea. Para comunicar esta nova realidade, foram reformulados todos os materiais gráficos, trazendo uma nova imagem da juventude, que representa a nova geração que está no mercado: a geração Y. Para dar o aporte à equipe técnica que trabalha diretamente com o SNE, foi criado o manual de processos e manual de boas práticas do Estágio, a fim de padronizar todas as etapas administrativas do programa. E por fim foi desenvolvido o programa Foco na Carreira, objetivando capacitar os alunos já inseridos no mercado de trabalho, mas que buscam trilhar uma carreira de sucesso dentro da empresa em que estagiam. Todos estes pontos irão preparar o estágio para o ano de 2015 a se tornar um produto de excelência.

Retomada do crescimento

Para o presidente Antonio Silva, a indústria espera que no próximo ano seja dada uma nova dinâmica no mercado favorecendo os investimentos e a recuperação do espaço da indústria no cenário nacional, setor fundamental para a retomada do crescimento econômico do Brasil. O presidente da FIEAM refletiu o sentimento geral de otimismo em relação aos próximos quatro anos. Reconheceu as dificuldades pelas quais passa a economia brasileira, mas disse que o momento é de união dos setores produtivos para que o país volte a crescer. Silva disse que a indústria será uma aliada não só do governo federal, mas também do estadual na busca por alternativas para o crescimento do país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here