Em um ano, o Serviço de Pronto Atendimento Médico (SPA) Joventina Dias, unidade da Secretaria de Estado da Saúde (Susam), teve a média de atendimentos diários ampliada de aproximadamente 330 pacientes/dia, em 2017, para, em média, 500/dia, em 2018, um aumento de 34%.

Situada no bairro da Compensa, zona oeste de Manaus, a unidade também é referência para bairros adjacentes, como São Jorge e Santo Agostinho, além de atender a população de municípios do entorno, como Manacapuru e Iranduba, nas ocorrências de emergência de média complexidade.

A unidade passou por uma revitalização em vários ambientes, incluindo a sua emergência, e hoje pode prestar um serviço de melhor qualidade ao usuário daquela região. “Quem mora na Compensa sabe e reconhece a importância vital do SPA Joventina Dias para aquela área da cidade, junto com o SPA do São Raimundo, que também é uma unidade de grande relevância na nossa rede de urgência e emergência”, observa o secretário estadual de saúde, Francisco Deodato, ao ressaltar que o aumento da capacidade de atendimento no SPA Joventina Dias é uma realidade de todas as unidades da Rede Estadual de Saúde e reflexo dos investimentos realizados pelo Governo Amazonino Mendes para melhorar os serviços de saúde.

A diretora do SPA Joventina Dias, Elcinei Lima Sampaio, observa que aumentou a capacidade de atendimento na emergência da unidade colocando em operação equipamentos que antes não funcionavam. Com isso, a média de atendimento mensal, segundo ela, subiu de 9 mil para 14 mil, entre 2017 e 2018. “Quando assumimos, em outubro do ano passado, a unidade não tinha equipamentos para atender a nossa demanda. O raio x estava parado, não havia eletrocardiograma, o laboratório funcionava precariamente, porque não tinha equipamentos como microscópio. Além disso, o ambulatório odontológico estava fechado há dois anos, mas reabrimos”, conta.

Elcinei Sampaio afirma que, em pouco tempo, a unidade conseguiu reequipar o laboratório, reformar ambientes, recuperar todo o sistema de ar condicionado e dar mais qualidade aos processos de trabalho, o que aumentou a produtividade. Na lista de equipamentos que não havia e foram providenciados, ela cita dois eletrocardiogramas, dois respiradores completos, microscópio, estufa, bombas de infusão e sistema de vácuo (usado em caso de engasgo). “Antes, a comunidade nos procurava menos, porque sabia que tínhamos pouca capacidade operacional e o nosso nível de resolutividade era pequeno. Hoje não. Estamos preparados para prestar os serviços de média complexidade em urgência e emergência”, complementa.

Ainda segundo a diretora do SPA, as mudanças otimizaram o faturamento da unidade junto ao Sistema Único de Saúde (SUS). “Nosso faturamento no SUS era de R$ 90 mil/mês, em outubro de 2017. Hoje, variamos entre R$ 160 e 190/mês”, contou. O faturamento que ela se refere é quanto o Ministério da Saúde paga à unidade pelos procedimentos realizados. A outra parte do custeio é do Governo do Estado. Segundo, Elcinei, antes não era feito um bom controle e a unidade perdia em faturamento. “Hoje o saldo do SUS é positivo”.

Entre os tipos de atendimentos comuns na unidade estão as viroses, ferimentos por arma de fogo e arma branca, acidentes domésticos, entre outros. “Aqui temos capacidade de resolutividade para os casos médios. Os casos mais complexos são estabilizados e transferidos para unidades maiores, que são os prontos-socorros”.

FOTOS: DIVULGAÇÃO/SUSAM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here