Na última semana, a Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA) participou do XXIII Encontro da Associação Nacional de Institutos de Planejamento, Pesquisa e Estatística (Anipes), realizado na cidade de São Luís (MA). Com o tema “Novos Horizontes para os Institutos de Planejamento, Pesquisa e Estatística do Brasil”, o evento deste ano contou com mais de 100 participantes, dentre pesquisadores e técnicos de instituições de pesquisa e estatística de todo o País. A SUFRAMA foi representada pelos economistas Patry Boscá e Renato Freitas, da Coordenação-Geral de Estudos Econômicos e Empresariais (Cogec).

O trabalho da autarquia referente à proposta da aplicação dos dados das Notas Fiscais Eletrônicas como registros administrativos para uso nas estatísticas públicas, em especial no cálculo das Contas Regionais e no PIB dos municípios, foi destacado durante o encontro. “Esse trabalho, inicialmente apresentado durante evento conjunto realizado pela SUFRAMA e pelo IBGE, teve um reconhecimento positivo durante o Encontro Nacional da Anipes. A proposta apresentada pela SUFRAMA foi utilizada como referência em apresentações e considerada importante contribuição para a mensuração das estatísticas do Brasil”, disse o economista Renato Freitas.

Na ocasião foram desenvolvidas, ainda, diversas atividades, como mini-cursos no formato de oficinas, mesas de discussão, apresentação de trabalhos das equipes institucionais e assembleias para realizar o balanço das ações. Uma oficina de relevante interesse à SUFRAMA e a todos os Estados da Amazônia Ocidental tratou sobre a metodologia do cálculo trimestral do Produto Interno Bruto (PIB). Utilizado como indicador conjuntural da economia, o método estatístico pode ser replicado em todo ou em partes para a área coberta pelo modelo Zona Franca de Manaus (ZFM), bem como todos os Estados brasileiros, de acordo com o entendimento das Secretarias de Planejamento Estaduais de cada região.

A SUFRAMA ainda participou, durante o encontro, de reunião destinada à formação de rede de instituições para tratar da Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR) do Brasil, que contou também com representantes do Ministério da Integração Nacional, Ministério do Planejamento, IBGE, Ipea, Sudam e demais instituições interessadas em discutir a retomada da PNDR com novo formato, em especial com a utilização de recursos dos fundos constitucionais para fomento ao desenvolvimento das regiões Nordeste, Norte e Centro-Oeste e outras áreas necessitadas do País.
Texto: Márcio Gallo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here