Susam implanta medidas e cuidados especiais voltados à saúde materno-infantil

A Secretaria Estadual de Saúde (Susam) está implantando uma série de medidas e cuidados especiais voltados à saúde materno-infantil. As ações abrangem investimentos nas maternidades de Manaus, que estão passando por obras de melhorias e readequação para abertura de mais 71 novos leitos.

No interior, a meta é implantar Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) Neonatais, de Cuidados Intermediários Neonatal Convencional (Ucinco) e de Cuidados Intermediários Neonatal Canguru (Ucinca), nos hospitais/maternidade, iniciando por Parintins, Tabatinga e Tefé.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Orestes Guimarães de Melo Filho, 36 leitos obstétricos serão abertos no Instituto Dona Lindu e 20 no Hospital e Maternidade Chapot Prevost. Na Maternidade Balbina Mestrinho serão reativados 04 leitos de UTI neonatal e 06 de Cuidados Intermediários (UCI). Na Maternidade Ana Braga serão mais 05 leitos de UTI Materna.

Obras gerais – Em todas as sete maternidades da rede estadual de saúde, na capital – Balbina Mestrinho, Ana Braga, Dona Lindu, Alvorada, Azilda Marreiro, Nazira Daou e Chapot Prevost –, estão sendo realizadas obras gerais, com reforma de ambientes, além da manutenção e troca de equipamentos e de ar-condicionados. A Susam comprou 306 aparelhos de ar-condicionado e está recuperando o sistema de refrigeração de todas as unidades de Manaus, substituindo os equipamentos com problema. Mais 200 novos aparelhos estão em aquisição.

Além das intervenções para ampliação de leitos, na Maternidade Nazira Daou estão passando por reforma quatro enfermarias e mais a UTI e UCI. No Hospital e Pronto-Socorro da Zona Norte está sendo implantado o serviço de Ginecologia.

Plano de Redução da Mortalidade Materna – A Susam também está promovendo a capacitação dos profissionais médicos e enfermeiros da rede de maternidades da capital e interior, como parte das ações previstas no Plano Estadual de Redução da Mortalidade Materna.

Desde que foi implantado, mais de 480 profissionais do Estado já receberam treinamentos, envolvendo temas como Hemorragia, Simulação Realística, Suporte Básico de Vida e Suporte Avançado de Vida, Sensibilização no Método Canguru, Manejo em Aleitamento Materno e Registro Qualificado de Declaração de Óbito. Os treinamentos foram realizados em Manaus, nas unidades de saúde, em parceria com o Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Departamento de Vigilância Epidemiológica (DVAE) e de Controle Avaliação e Regulação (Dicar). E também em São Paulo, no Hospital Albert Einstein.

De acordo com a coordenadora estadual de Saúde da Mulher e Rede Cegonha, Sandra Cavalcante, também foram promovidos cursos de capacitação, tendo como foco a assistência à saúde da mulher e do recém-nascido. Ao todo, durante este ano, mais de 350 servidores da capital e de 33 municípios do interior participaram dos treinamentos.

A coordenadora estadual da Rede de Atenção à Saúde da Mulher no Amazonas, Luena Xerez, considera as mulheres como público-alvo importante, por serem, historicamente, multiplicadoras dos cuidados e atenção à saúde, na família. “Cuidar das mulheres é também permitir que a prática do cuidado e seu impacto se estendam às famílias. Mulheres saudáveis cuidam e ‘produzem’ lares saudáveis e a cultura da prevenção, do auto-cuidado e da promoção da saúde e de hábitos saudáveis”, explicou.

FOTO: DIVULGAÇÃO