As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Televisão lidera produção industrial no Amazonas e gera 12,5 bilhões em valor de produção

A Pesquisa da Produção Industrial – Produto, divulgada hoje pelo IBGE, destaca o aumento de representatividade da indústria da Região Norte, onde dos três principais produtos, dois são fabricados no Amazonas. Já entre os dez principais produtos do Norte, seis são do Polo Industrial de Manaus; e quatro são do Pará. No entanto, a indústria paraense leva grande vantagem sobre a indústria amazonense em valor de vendas, impulsionada pelos minérios. Em 2018, a fabricação de televisão foi o principal produto do Amazonas em valor de vendas.

A Pesquisa Industrial – Produto, permite uma análise da composição e evolução da produção industrial brasileira, através do acompanhamento de mercados específicos e das articulações das cadeias produtivas. A pesquisa investiga as unidades locais produtivas industriais das empresas com 30 ou mais pessoas ocupadas e/ou que aferiram receita bruta proveniente da venda de produtos e/ou serviços industriais superior a R$15,1 milhões no ano anterior ao de referência da pesquisa. As variáveis quantitativas cobertas pela PIA-Produto são: valor da produção, valor de vendas (receita liquida de vendas), quantidade produzida e quantidade vendida.

Vale destacar que o IBGE produz a Pesquisa Industrial Anual – Empresa e a Pesquisa Industrial Anual – Produto, as quais possuem objetivos e escopos distintos. PIA – Empresa investiga as empresas industriais e suas unidades locais produtivas, captando variáveis econômico-financeiras a fim de caracterizar a produção industrial. PIA – Produto investiga os produtos e serviços industriais produzidos/prestados pelas unidades locais produtivas industriais a partir da lista de produtos – PRODLIST, captando informações referentes a produção e venda. Portanto, as duas são independentes e complementares, fornecendo diversas possibilidades de análise sobre a estrutura de produção industrial do Brasil.

A participação no valor de vendas das grandes regiões, para unidades produtivas com 30 ou mais pessoas ocupadas, é liderada pela Região Sudeste com 55,4%, em seguida a Região Sul com 20,2%. A região Norte ocupa a quarta posição entre as cinco do país, com 6,9%.  A região Centro Oeste ocupa a última posição com 6,4% das vendas.

De 2009 para 2018 apenas a Região Sudeste perdeu representatividade no valor de vendas, caindo de 62,0% para 56,4%. Todas as outras regiões do país tiveram aumento no desempenho. A Região Norte passou de 6,6% para 6,9% no período. A Centro-Oeste teve o maior crescimento com 2,5 pontos percentuais.

Considerando os três principais produtos de cada região. Na Região Norte, o minério de ferro do Pará representou 19,3% das vendas; televisores do Amazonas 6,9% e celulares também produzidos no estado 6,6%. Destaca-se então a produção de minério de ferro e a indústria de eletrônicos da Zona Franca de Manaus. A Região Sudeste que lidera o ranking, teve como principais vendas óleo bruto de petróleo (6,1%), óleo diesel (2,7%) e automóveis de 1.500 a 3.000 cilindradas (3,3%).

Onde se pode notar que a representatividade de vendas dos produtos da Região Sudeste é bem inferior aos da Região Norte; o que mostra uma menor concentração de produtos industriais na Região mais rica do país. Uma das formas de avaliar o grau de especialização da produção em uma região é avaliando o quanto estes três principais produtos representam no valor das vendas da Região. Assim, quanto mais escuro o mapa, maior é a concentração, revelando que o Norte (32,8%) e Centro Oeste (29,4%) apresentam o maior grau de especialização na produção dos bens e serviços do país. O ranking regional prossegue com o Nordeste (14,0%), Sudeste (11,3%) e Sul (8,9%) revelando, nesta ordem, maior diversidade e, portanto, menor concentração produtiva nas regiões.

Dentre os dez principais produtos industriais da Região Norte, o Amazonas entra com seis (televisores, celulares, xaropes para bebidas, motocicletas, óleo diesel e ar condicionado); e o Pará com quatro (minério de ferro, carnes, minério de cobre e óxido de alumínio). Os produtos produzidos no Amazonas alcançaram 25,7% do valor das vendas da Região Norte. Enquanto os produtos produzidos no Pará representaram 31,3%.

Ainda considerando as unidades de produção com 30 ou mais pessoas ocupadas, por valor de produção. A produção de televisores liderou no Estado, com um valor de 12,5 bilhões. Em segundo lugar veio a produção de celulares com 12,1 bilhões; na terceira posição estava a produção de gás natural (*). A quarta posição foi de xarope para bebidas (7,5 bilhões), seguidos de: motocicletas (7,1 bilhões ), ar condicionados (3,8 bilhões ), peças para motocicletas (2,2 bilhões ), latas de alumínio (2,1 bilhões ), óleo bruto ( *) e placas de circuito impresso (1,4 bilhão).

  • Até 3 informantes o IBGE não divulga valores.

    Amazonas 13
PIA-PRODUTO – Divulgação: 2018

  Ranking de produtos/serviços industriais por Valor de Produção

 Código do Produto Descrição do produto Valor de produção Posição no ranking
2640.2180 Televisores (receptores de televisão) 12.583.066.247 1
2632.2060 Telefones celulares 12.125.492.620 2
0600.2010 Gás natural, liquefeito ou no estado gasoso x 3
1122.2080 Preparações em xarope para elaboração de bebidas, para fins industriais 7.548.901.048 4
3091.2020 Motocicletas (inclusive os motociclos) com motor de pistão alternativo de cilindrada superior a 50 cm3 e menor ou igual a 250 cm3 7.124.843.523 5
2824.2010 Aparelhos de ar condicionado de paredes, de janelas ou transportáveis, inclusive os do tiposplit system 3.818.850.375 6
3091.2060 Peças e acessórios para motocicletas, triciclos, motociclos e outros ciclomotores, n.e. 2.277.526.674 7
2591.2030 Latas de alumínio para embalagem de produtos diversos 2.169.382.379 8
0600.2030 Óleos brutos de petróleo x 9
2610.2155 Placas de circuito impresso montadas, para informática 1.411.271.371 10