Take a fresh look at your lifestyle.

Temer corta incentivos da indústria de bebidas e acende alerta sobre risco à Zona Franca de Manaus

-publicidade-

Manaus – O presidente Michel Temer cortou benefícios da Zona Franca de Manaus, com a mudança na cobrança do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) que atinge concentrados de bebidas, como Coca-Cola e Ambev, no Polo Industrial da capital amazonense. Temer reduziu de 20% para  4% a alíquota de insumos que vai encarecer os concentrados de bebidas.

A lei, já sancionada pelo presidente, foi publicada, por volta das 22h30, desta quarta-feira (30), por meio de Medida Provisória, em edição extra do Diário Oficial da União (Dou).

A decisão é para compensar a redução de 0,16% no preço do diesel, como parte do acordo firmado com os caminhoneiros para encerrar a greve iniciada em 21 de maio.

Empresários do Sudeste e do Sul comemoraram a decisão do presidente Michel Temer. Segundo o Estado de Minas, a Associação dos Fabricantes de Refrigerantes do Brasil (Afrebras), comemorou a decisão e disse que desse modo ” o governo corrige uma distorção tributária na indústria de bebidas e que a concorrência agora fica nivelada”.

Nesta quinta-feira, o senador Omar Aziz (PSD), o deputado federal, Pauderney Avelino e o deputado estadual, Serafim Corrêa, se manifestaram nas redes sociais sobre e medida.

Serafim falou que a elevação de tributos com a redução do IPI será de R$ 740 millhões. Pauderney disse que o Amazonas não pode ser penalizado e que nesta sexta-feira iniciam as reuniões em Brasília para tentar revogar a sanção presidencial. Já Omar propôs a união de todas as correntes políticas para cobrar o presidente Temer.

-publicidade-