As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Terapias que ajudam no equilíbrio da mente e do corpo são desenvolvidas para funcionários e crianças atendidos pelo Abrigo Moacyr Alves

Terapias que ajudam no equilíbrio da mente e do corpo unidas são desenvolvidas para crianças e funcionários do Abrigo Moacyr Alves semanalmente. A yoga/meditação laboral é realizada na sede da instituição, no bairro do Alvorada, e a yoga/meditação com botos da Amazônia, ou como ficou mundialmente conhecida como “Bototerapia”, acontece no Rio Negro, em Manaus.

Para diminuir o estresse, estimular o desenvolvimento, a consciência corporal, fortalecer o contato com a respiração, e, ainda, ajudar na manutenção de uma vida com qualidade, funcionários e crianças do Abrigo Moacyr Alves realizam, uma vez por semana, o yoga na instituição, abordando as atividades diárias realizadas no Abrigo e adaptando essa prática às pessoas ali presentes.

As aulas acontecem todas as quintas-feiras e são ministradas pelo fisioterapeuta voluntário, especialista em saúde da coluna e saúde postural (Rolfing) Igor Simões de Andrade que é o idealizador da prática da Bototerapia. A realização da terapia com os botos é a única licenciada pelo IBAMA, pois foram atendidas todas as normas exigidas, como parecer de biólogos, veterinários e médicos especialistas, além de suas atividades terem sido consideradas de conservação da espécie, inclusão social e um exemplo de baixo impacto para os animais. A Bototerapia não utiliza de alimentação artificial para os botos e já vem acontecendo há mais de 14 anos de maneira orgânica e ecológica, transformada em um referencial para o ordenamento do turismo com os botos, diferente do turismo ilegal, que ainda acontece de maneira desequilibrada.

De acordo com o especialista, a união da bototerapia com as aulas de yoga das quintas-feiras no abrigo, e aos sábados no Parque do Mindu, refletem numa maior conexão das crianças e funcionários com a natureza. “Todos que conheceram, de forma calma e tranquila, nossos golfinhos de rio ou boto cor-de-rosa ficaram encantados, valorizaram muito mais esse animal da nossa região. Com essas melhorias para os participantes, animais e crianças, este projeto já virou referência internacional na Amazônia sendo registrado, em maio deste ano, em um documentário da rede BBC de Londres”, afirmou. Nas aulas no Parque do Mindu, local onde também são ministradas aulas voluntárias e realizadas ações com enfoque na preservação ambiental, um público de quase 80 pessoas participam voluntariamente e cuidam do igarapé poluído que corta o parque.

Entre os principais benefícios do yoga, destacam-se: a melhoria de doenças e problemas respiratórios, a diminuição da ansiedade, a melhoria do sono, a melhora da disposição e bem-estar, entre outros.

Para Raimunda Freitas, que trabalha diretamente na coordenação dos cuidadores das crianças no Abrigo Moacyr Alves, a yoga ajudou a reduzir o estresse e a ansiedade do dia a dia.

A técnica desenvolvida pelo fisioterapeuta Igor Simões dentro deste projeto, vai além do próprio yoga e além do contato e interação pacífica com os “golfinhos amazônicos”. Existe uma missão de preservação do planeta e o devido cuidado com o cotidiano dos botos, dos rios, das árvores e além disso, uniu, pela primeira vez no mundo, tantos elementos em um só projeto com pouco recurso financeiro e nenhuma ajuda de outros órgãos.

O projeto é o único no Brasil e no Mundo, além de possuir o licenciamento e a legalização das atividades terapêuticas e yoga na interação com os botos, tem como objetivo o cunho social, e a missão de proteger, conservar e manter o bem-estar dessas espécies.

Em todas as aulas que acontecem no Rio Negro, no Abrigo Moacyr Alves ou, ainda, no Parque do Mindu, o fisioterapeuta faz questão de passar ensinamentos de educação ambiental, valorização da natureza, a importância do amor às crianças e ao planeta com a preservação da ética com o meio ambiente e com as pessoas.

O projeto iniciou em 2005 no antigo Hotel Ariaú, porém, devido às dificuldades financeiras não foi possível dar continuidade. Em 2018, as sessões foram reativadas, com o apoio unicamente do fisioterapeuta que, também, ministra todas às quintas-feiras, de forma voluntária, yoga aos funcionários e crianças do Abrigo Moacyr Alves.

você pode gostar também