Take a fresh look at your lifestyle.

Teste para os Jogos Olímpicos, partida beneficente foi considerada um sucesso do ponto de vista da segurança

-publicidade-

Do ponto de vista da segurança pública, o jogo beneficente Amigos do José Aldo x Amigos do Pizzonia foi considerado tranquilo, sem nenhuma ocorrência de natureza grave para um público oficial de mais de 32 mil pessoas que compareceu à Arena da Amazônia, neste sábado, dia 27 de fevereiro. Com o publico predominantemente formado por famílias e presença de muitas crianças, os casos mais significativos foram as prisões de cambistas que tentavam vender os ingressos dos jogos.

Na área de saúde, foram feitos 24 atendimentos sendo 21 adultos três crianças, com quadro de cefaleia, pressão alta e febre, nenhum com necessidade de remoção. A Secretaria Estadual de Saúde (Susam) e a Municipal (Semsa) montaram quatro postos de atendimento médico na Arena, com mais seis ambulâncias, sendo duas tipo UTI.

Segundo pesquisa de satisfação da Ouvidoria do Sistema de Segurança, mais de 90% das pessoas classificaram como bom e ótimo a operação empregada na arena.

“Eu diria que foi êxito total. Cem por cento de sucesso desse grande evento desenvolvido de maneira integrada, desde o processo de planejamento, para que pudéssemos testar o modelo com foco nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Não tivemos nenhuma ocorrência de relevância que impactasse na segurança. Alguns casos de cambismo que foram reprimidos, conforme planejado, com a ação neutralizada e as pessoas encaminhadas para os órgãos de segurança”, observou o o secretário executivo adjunto de Planejamento e Gestão Integrada de Segurança, coronel Dan Câmara, que coordenou a operação.

A operação de segurança integrada também foi elogiada pelo representante da Secretaria Extraordinária para Grandes Eventos do Ministério da Justiça, André Caldas. “É uma grata satisfação vir aqui e constatar que todo o planejamento foi feito dentro dos moldes do modelo olímpico a ser adotado nos jogos e ver, principalmente a integração de todas as forças estaduais municipais e federais unidas no planejamento e sendo coroado agora nesses evento sem nenhum tipo de ocorrência ou transtorno. Isso, obviamente, é fruto de um planejamento bem feito e, agora, é só dar continuidade para implementação nos jogos”

O jogo serviu para testar na prática tudo o que está sendo elaborado em termos de segurança para os jogos do Torneio Olímpico de Futebol Rio 2016, que acontecem em agosto, ocasião em que Manaus terá três rodadas duplas dos Jogos Rio 2016, incluindo uma do torneio feminino. Toda a operação foi acompanhada do Centro Integrado de Comando e Controle Local (CICC-L), que funciona na Arena, com seguidas reuniões de avaliação durante o evento.

Além dos representantes dos órgãos que integram a Operação Integrada de Segurança, estavam presentes no evento, representantes do Ministério da Defesa, do Ministério da Justiça e do Comitê Rio 2016. Formado por cerca de 30 órgãos, o colegiado local reuniu todas as forças de Segurança – Polícias Militar, Civil e Federal, Bombeiros, órgãos estaduais e municipais de trânsito, Juizado da infância e da Juventude, Conselho Tutelar, Voluntariado, Susam, Semsa, Sejel, entre outros.

O jogo beneficente encerra para Manaus a primeira fase do exercício de elaboração do plano de segurança para aos Jogos Olímpicos, estabelecido pelo Comitê Rio 2016 para as Cidades do Futebol, o Viso. De acordo com o o secretário executivo adjunto de Planejamento e Gestão Integrada de Segurança da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP), coronel Dan Câmara, a operação criada para o jogo teve como objetivo testar o Plano Integrado de Segurança e Ordenamento Urbano para a Arena da Amazônia (Pisou), elaborado pelos órgãos que integram o colegiado de Segurança do Comitê Manaus 2016.

Além da segurança como um todo do evento, foram testadas várias premissas do plano estadual, entre as quais a capacidade de central de escolta, a capacidade de estabelecer perímetros de segurança, de fazer controle de acesso aos perímetros de segurança, principalmente o sistema integrado de segurança e controle, que incluiu o CICC Regional.

“O Amazonas é o único estado que está concluindo a elaboração do seu plano com um evento. Isso graças à iniciativa da primeira-dama do Estado”, afirmou Dan Câmara. Segundo ele, o Amazonas já é referência nacional para o Comitê Rio 2016 e alguns cases aplicados pelo plano local estão sendo aplicados em outros Estados.

-publicidade-