Foto: EBC

Todos os candidatos às eleições deste ano, inclusive os 13 candidatos à Presidência da República, foram intimados nesta semana pelo Tribunal Superior Eleitoral a detalharem a declaração de bens. No pleito de 2014, por exemplo, quando os políticos iam declarar um imóvel, eles tinham que deixar discriminado o valor, o tamanho e o endereço da residência.

Porém, nestas eleições, essas informações não estavam sendo pedidas. Isto porque em 2017, o Tribunal Superior Eleitoral resolveu simplificar o sistema de prestação de informações, para torná-lo mais rápido e tirou os campos de detalhamento na declaração de bens.

A medida não teve uma repercussão positiva. Então, o ministro Luiz Fux, que era o presidente da Corte até a semana passada, optou por incluir novamente os campos no sistema, para trazer o maior grau de transparência possível ao processo eleitoral.

O número total de candidatos às vagas para os oito cargos eletivos – que são Presidência da República e vice, governador e vice, Câmara dos Deputados e assembleias legislativas, além das duas vagas para o Senado – chega a mais de 27.800 em 2018. Só para a Câmara dos Deputados, são mais de 8 mil candidatos.

O TSE tem até 17 de setembro para decidir sobre eventuais contestações de candidaturas com base na Lei da Ficha Limpa.

Reportagem, Cintia Moreira

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here