31.3 C
Manaus
quarta-feira, novembro 29, 2023

Tragédia ambiental: número de botos mortos em Coari sobe para 101 devido à seca histórica de 2023

Na noite de terça-feira (14), a presidente da ONG Sea Shepherd, Nathalie Gil, divulgou informações alarmantes sobre a situação em Coari, no Amazonas. O número de botos encontrados mortos subiu para 101, levantando suspeitas sobre a relação com a seca histórica que assola a região em 2023.

A situação no estado continua crítica, com todos os 62 municípios do Amazonas, incluindo Manaus, em estado de emergência devido à vazante. Embora os rios Negro e Solimões tenham apresentado sinais de melhora com a subida das águas, os impactos são evidentes.

Em Coari, localizada a 360 quilômetros da capital, os pesquisadores da Universidade Federal em Coari (Ufam/Coari) encontraram 98 botos mortos no Rio Solimões em menos de um mês. A maioria das carcaças pertence à espécie de botos-vermelhos (Inia geoffrensis). O número de mortes já chega a 101.

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) aponta que a seca extrema pode estar relacionada com essas mortes. Uma operação de emergência está em andamento para investigar as causas dessas tragédias. Tefé, outra cidade do Amazonas, também registrou um alto número de mortes de botos, chegando a 155.

A equipe de pesquisadores em Coari está empenhada em monitorar e coletar informações para identificar as causas dessas mortes. As espécies mais afetadas são os botos-vermelhos (Inia geoffrensis) e os tucuxis (Sotalia fluviatilis).

É fundamental que medidas urgentes sejam tomadas para proteger a vida desses animais e preservar o ecossistema amazônico. A situação é alarmante e requer a atenção de todos. Com informações do G1

spot_img