Ministério da Saúde autoriza transplante de rim no HPS Zona Norte

Além de novos leitos, entrarão em funcionamento mais 11 salas cirúrgicas e 40 leitos de UTI

A rede estadual de saúde está em fase final de preparação para a retomada das cirurgias de transplantes de rins que, há dois anos, não eram realizadas no Estado. A atual gestão, desde que assumiu em outubro de 2017 vem adotando as medidas para a retomada, processo que exige credenciamento pelo Ministério da Saúde (MS). Os procedimentos serão realizados no Hospital e Pronto-Socorro (HPS) da Zona Norte, localizado no bairro Colônia Terra Nova.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Orestes Guimarães de Melo Filho, uma nova organização social passará a administrar a unidade, que está, temporariamente, sob responsabilidade da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam) e, até o mês de novembro, serão concluídos todos os processos necessários para o início das cirurgias.

“É um passo muito importante para os pacientes que aguardam esses transplantes, especialmente, os que são renais crônicos. O Estado estava há algum tempo sem realizar esse procedimento, que é de alta complexidade. O HPS Zona Norte foi pensado para isso e possui toda a estrutura necessária. Nós esperamos, mesmo antes de novembro, iniciar o processo ambulatorial, que são as consultas iniciais para que os pacientes possam ser preparados para o transplante”, frisou o secretário.

Atualmente, apenas transplantes de córnea são realizados no Estado. O paciente que necessita de outros tipos de transplante é assistido por meio do programa Tratamento Fora de Domicílio (TFD). O procedimento é feito em hospitais de outros Estados, conforme a fila de espera, que é nacional. “Da mesma forma, quando passarmos a oferecer outros transplantes, seremos referência no TFD para pacientes da região Norte, que também dependem de outros Estados”.

Estrutura – Atualmente, apenas 40 leitos de urgência e emergência, 120 leitos de internação e 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) estão em atividade no HPS Zona Norte, o que representa menos da metade da capacidade de funcionamento do hospital, recebido assim pela atual administração. Para atender à demanda de pacientes renais que precisam de transplante, uma nova etapa do prédio passa a funcionar com a entrega de 208 leitos, 11 salas cirúrgicas e 40 leitos de UTI, com equipamentos de alta tecnologia, também prevista para novembro, conforme a Susam.

A intenção é tornar a unidade referência em transplantes no Estado e na Região Norte. “O motivo são as condições de infraestrutura, que são excepcionais e as condições humanas que serão dotadas através da nova administração do hospital e da capacitação dada para a equipe especializada em transplantes. Esperamos, com esse conjunto de fatores, obter sucesso e reconhecimento, mas principalmente oferecer condições adequadas de saúde aos pacientes”, reforçou Leny Passos, coordenadora estadual de transplantes do Amazonas.

*Tutoria* – A capacitação dos profissionais para os transplantes renais será feita pela Santa Casa do Rio Grande do Sul, que já é referência para os pacientes do Amazonas em TFD e irá acompanhar todo o processo de implantação do serviço. “São profissionais com experiência docente para formar também e apoiar a equipe que irá realizar os transplantes no Estado. Inicialmente, serão as cirurgias de transplante de rim, em seguida, vamos ter também apoio para fígado e coração. Já é feito, também, o transplante de córnea no Hospital Adriano Jorge. Posteriormente, vamos trabalhar em outras ampliações”, informou o secretário de Saúde.

A programação da Susam junto ao Ministério da Saúde busca, ainda, credenciar o Hospital Albert Einstein, de São Paulo, para a tutoria dos transplantes de fígado e o Hospital Messejana, do Ceará, para as cirurgias de coração, que devem ser realizadas no Hospital Francisca Mendes.

Setembro Verde – No mês em que o incentivo à doação de órgãos é intensificado, por meio da campanha Setembro Verde, a coordenadora de transplantes do Estado alerta sobre a importância de comunicar a família sobre o desejo de ser um doador. “A doação de órgãos é um ato sublime de amor ao próximo. Nós costumamos festejar muito a vida e nunca pensamos na possibilidade da morte. No entanto, todos somos mortais. É importante avisarmos nossa família que queremos ser doadores. Isso vai tirar muitas pessoas da fila de espera e salvar essas vidas”, ressaltou Leny Passos.

A Central de Transplantes do Amazonas, vinculada à Susam, realiza programação alusiva à campanha, que conta com a iluminação de prédios de instituições públicas e privadas na cor verde, além do “Dia D”, com atividades de conscientização em cinco unidades hospitalares da rede estadual de saúde em Manaus: Hospitais e Prontos-Socorros 28 de Agosto, João Lúcio e Plantão Araújo, Hospital Universitário Francisca Mendes (HUFM) e na Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ).

No dia 27, data em que é comemorado o Dia Nacional da Doação de Órgãos e Tecidos, haverá uma celebração com as famílias de doadores às 18h, no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), localizado na avenida Joaquim Nabuco, Centro, com um culto ecumênico em agradecimento ao gesto das famílias.

Foto: Aguilar Abecassis

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here