Para se curar, o acompanhamento psicológico é indispensável, além de terapias complementares, como Mindfulness e Hipnose transformacional

O medicamento nem sempre é necessário, mas a crença na melhora sempre

Durante a segunda guerra mundial, houve uma epidemia de gripe em Nova Iorque. Quanto mais as notícias desta epidemia se espalhavam, mais pessoas alegavam estar doentes. As autoridades, então, solicitaram às principais mídias que interrompessem as noticias relacionadas à tal epidemia, embora a epidemia ainda não tivesse sido controlada. Em menos de um mês, a epidemia simplesmente desapareceu, por virtude apenas das sugestões que foram passadas ao povo nova-iorquino.

A conclusão mais incrível deste ocorrido talvez seja que pelo simples fato de aceitar uma sugestão, uma pessoa pode realmente adoecer, ou mesmo se curar de uma doença de forma real. A Hipnose Transformacional é um estilo de hipnose que trabalha na mudança da construção da nossa própria realidade, através da identificação e transformação dos padrões internos e externos de comunicação.

É importante compreender que toda comunicação acontece de forma tanto verbal quanto não verbal. No pressuposto da hipnose transformacional, então, o simples fato de uma pessoa estar recebendo estímulos e os interpretando é o que irá criar a realidade do indivíduo, sempre filtrando o mundo de acordo com sua própria percepção—em torna, baseada nas suas experiências e estímulos recebidos por cada indivíduo.

Ou seja, nós vivemos hipnotizados, continuamente criando a nossa própria realidade. Muitas vezes, o papel das técnicas e ferramentas da hipnose transformacional é ajudar o sujeito a sair do estado de hipnose no qual ele se encontra, para assim poder criar um novo estado. É importante entender que nós criamos estes estados de forma natural o tempo todo, criando tanto estados de felicidade, saúde e bem estar, quanto estados de depressão, dores físicas, e todos os tipos de doenças reais, que se iniciaram e se reforçam através da nossa própria construção da realidade.

O simples fato de uma pessoa pensar e se preocupar demais com uma doença pode criar esta doença em seu próprio sistema—ou mesmo acontecimentos traumáticos e emoções não bem trabalhadas—pode fazer com que a nossa mente subconsciente crie doenças em nosso corpo como uma espécie de mecanismo de defesa para nos proteger.

Pode-se entender a nossa mente subconsciente como um segurança cego, buscando sempre o que acredita ser melhor, enquanto gastando o mínimo de energia possível. Desta forma, é apenas natural que ela nem sempre tome as melhores decisões.

No livro Quem pensa enriquece, de Napoleon Hill, ele cita um exemplo de quatro pessoas—entre elas, três contratadas para repetir uma sugestão de doença de uma forma espaçada para um quarto sujeito que se encontrava em ótimo estado de saúde. O sujeito numero um chega para o homem saudável e diz: “Nossa, como você esta pálido! Por acaso você está doente?” O homem diz que não. Algumas horas depois, o segundo sujeito encontra-se com o homem saudável e também diz: “Nossa, como você está pálido, você está doente?” Desta vez o home responde que realmente não estava se sentindo tão bem. Pouco tempo depois, vem o sujeito numero três e diz: “Nossa, como você está pálido, você está doente?” E assim o homem que há pouco estava saudável, sente-se mal e decide ir para um hospital.

Compreenda assim que nossa mente não somente simula a doença: ela de fato a cria, assim como de fato pode-a curar.

Na hipnose transformacional existem várias técnicas e ferramentas que ajudam a reconfigurar a nossa percepção para criarmos uma realidade de forma mais saudável tanto para o nosso corpo quanto para nossa mente, como por exemplo a regressão à causa emocional de origem do problema, purificação de sentimentos, e outras técnicas mais profundas. Aqui, vou compartilhar quatro estratégias simples que, se seguidas, podem fazer toda a diferença para modificarmos nossos padrões de comunicação tanto internos quanto externos, e trazer melhorias em qualquer que seja o tratamento.

1. Cite dez motivos pelos quais é grato todos os dias, e perceba as coisas simples pelas quais deve ser grato. Por exemplo, a sua visão, se você enxerga.

2. Abrace alguém por mais de vinte segundos.

3. Crie uma imagem positiva de futuro em sua mente por pelo menos um minuto todos os dias.

4. Quando se perceber reclamando, interrompa o ciclo de lamentações.

Existe sempre um belo jardim em nossa mente. Nós sempre podemos escolher enxergar as flores, ou os pontiagudos espinhos. Em última análise, a escolha é nossa.