Take a fresh look at your lifestyle.

Três aprovados em medicina dão dicas infalíveis para quem está prestando vestibular

-publicidade-

Rotinas de estudo, descanso e entretenimento são fundamentais para quem quer entrar na faculdade em 2021

Entrar em uma faculdade de Medicina é o sonho de muitos vestibulandos. Há muitos anos, o curso figura entre os mais concorridos do Brasil em quase todas as universidades. No Concurso Vestibular da Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest) 2021, por exemplo, Medicina ocupa as três primeiras posições no ranking dos cursos mais disputados. Quem quiser estudar lá, precisa enfrentar uma concorrência de 154,6 candidatos por vaga. Este ano, além de todo o desgaste com as rotinas de estudo, os candidatos precisam lidar ainda com a pressão emocional de participar de um processo seletivo tão importante em meio à pandemia do novo coronavírus. Para facilitar o caminho de quem ainda busca a aprovação, três estudantes do Curso Positivo aprovados em vestibulares para Medicina dão dicas valiosas.

Organize sua rotina

Pedro Henrique Plocharski tem 18 anos e, em 2020, foi aprovado para Medicina três vezes: na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), na Universidade Federal do Paraná (UFPR) e na Universidade de São Paulo (USP). “Algo que eu fiz enquanto vestibulando e que me ajudou muito para conseguir a aprovação foi a organização. No cursinho há muito a se fazer e, sem organizar sua agenda, as chances de não dar tempo de fazer tudo e de não sobrar tempo suficiente para descansar são bem grandes”, adverte.

Cuide da saúde mental

Para a estudante de Medicina Larissa Helena Tissi, 21, um dos maiores desafios enquanto vestibulanda foi lidar com a própria saúde mental. “Nos primeiros anos de cursinho, eu era uma vestibulanda ansiosa que, na metade do ano, já estava esgotada física e mentalmente. Na minha cabeça, o ano já estava perdido e eu não aguentaria estudar no mesmo ritmo até o vestibular”, conta. Depois de algumas provas, no entanto, ela passou a entender que ninguém consegue manter um ritmo acelerado de estudo ao longo de todo o ano e que, por isso, precisava ser mais paciente consigo.

Hoje, depois de ser aprovada na UFPR e nas Faculdades Pequeno Príncipe (FPP), ela diz entender que a aprovação não depende apenas do estudo, mas também de controlar a ansiedade – tanto na hora da prova quanto durante a preparação. “Faça academia, dança, yoga ou algo que alivie sua tensão; saia com os amigos e família; tire um tempo para assistir a um filme ou ficar sem fazer nada; trabalhe seu pensamento e tente equilibrar suas atividades do dia a dia. Estude muito, mas cuide muito de você também”, ensina.

Plocharski dá uma dica parecida e diz que é muito importante conviver com amigos e colegas que também estejam estudando para entrar na universidade. “Ter alguém que te entende e que passa pelo mesmo que você é importante para percebermos que não estamos sozinhos nessa jornada e que juntos somos mais fortes, porque um incentiva o outro a continuar, mesmo diante de dificuldades” diz.

Foco nos objetivos

Quando se tem um objetivo claro fica mais fácil alcançar bons resultados. Matheus Von Jelita Salina, 17, foi aprovado este ano na Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx) e na Universidade Positivo (UP), e relata que visualizar onde quer chegar é uma das técnicas que mais o ajudam. “Tento trabalhar sempre nesses objetivos de alguma forma. Ou seja, quando eu não estava em aula ou estudando, estava sempre forçando minha memória com assuntos aleatórios e checando se eu havia compreendido tudo, explicando de novo para mim mesmo”, detalha.

Ele conta que escolhia jogos como o do WeJoy para ajudar na memorização dos conteúdos e que buscava estar sempre com o Memorex em mãos. “Estar em casa, como estamos devido à pandemia, pode gerar procrastinação, então minha ideia era transformar esses momentos em lazer com algum fundamento nos conteúdos, com jogos de pergunta e resposta, por exemplo”.

Não fuja das matérias complexas e não desista

Fazer uma boa prova, principalmente quando o curso desejado é muito concorrido, depende de alcançar pontuações elevadas em muitas disciplinas. Para isso, a dica de Larissa é não fugir daquelas com as quais não se tem afinidade, algo muito comum entre estudantes de todas as idades. “Comprometa-se a estudar com afinco as matérias que você não gosta e as quais tem dificuldade. Evoluir nesses assuntos é fundamental para aumentar sua pontuação, afinal, ninguém passa no vestibular estudando só aquilo que gosta”, alerta.

Outra boa dica é aprender com as próprias falhas e ter resiliência. Passar em concursos concorridos é um processo que pode levar tempo. “Sempre devemos usar nossos erros como uma fonte de aprendizado. Pergunte-se por que você errou determinada questão, se foi falta de conteúdo ou erro de interpretação, por exemplo. Assim, é possível saber no que é preciso melhorar, o que te torna cada vez mais preparado”, arremata Plocharski.

Pense na redação com carinho

Uma das partes mais fundamentais de qualquer vestibular é a redação. Essa etapa costuma valer muitos pontos e pode fazer toda a diferença na hora da aprovação. Então é bom pensar nela com carinho e preparar-se de verdade para não desperdiçar nenhum ponto. “Conheça o estilo de cobrança de cada prova, mas não se esqueça de que ter conteúdo é tão importante quanto saber a estrutura. Busque impressionar o corretor; use e relacione ideias de filósofos, sociólogos, físicos, e outros, em vez de colocar apenas frases prontas e clichês. Uma ideia é fazer referência a músicas, livros e ao cinema. Seja criativo”, finaliza Larrisa.

Foto: Divulgação

-publicidade-