27.3 C
Manaus
sexta-feira, fevereiro 23, 2024

Tucumã: O novo ouro da Amazônia

A Amazônia, conhecida por sua biodiversidade única e vasta, tem testemunhado a ascensão de um de seus frutos nativos, o tucumã, como um produto de valor crescente para as comunidades locais. Uma vez considerado uma praga, o tucumã agora é celebrado por suas propriedades nutritivas e potencial de geração de renda.

O tucumã, um fruto originário da Colômbia que se adaptou bem à Amazônia brasileira, é produzido por palmeiras que se destacam por seus longos espinhos. Existem duas principais variedades: o Astrocarryum vulgare, conhecido como tucumã-do-pará, e o Astrocarryum aculeatum, ou tucumã-do-amazonas. Laura Figueiredo Abreu, pesquisadora da Embrapa Amazônia Oriental, ressalta as diferenças entre estas variedades, incluindo aspectos físicos e de composição.

O tucumã é altamente nutritivo, rico em ômega 3 e vitaminas A, B1 e C, contribuindo significativamente para a saúde. Sua polpa oleaginosa e fibrosa, junto com a amêndoa rica em gordura, oferecem múltiplas possibilidades de uso.

Com a evolução da percepção sobre o tucumã, a fruta tem sido cada vez mais valorizada em diversas áreas, incluindo culinária, cosméticos e saúde. Na culinária amazônica, o tucumã é consumido in natura ou em sucos, enquanto a indústria cosmética explora seu potencial biotecnológico, aproveitando os bioativos encontrados no fruto.

A pesquisa de Laura Abreu destaca o uso do óleo do tucumã, comparável ao azeite de oliva extravirgem em termos de ácidos graxos insaturados. Além disso, a polpa do fruto é utilizada de diversas maneiras, desde recheio de sanduíches até a produção de sorvetes, néctares e doces.

O tucumã representa uma importante fonte de renda e inclusão socioprodutiva para comunidades vulneráveis na Amazônia, marcando uma transformação de uma percepção negativa para uma valorização do fruto como um verdadeiro tesouro regional. Essa mudança de paradigma não apenas impulsiona a economia local, mas também promove a sustentabilidade e a conservação do ecossistema amazônico.

À medida que a popularidade do tucumã cresce, aumenta também o interesse internacional, abrindo novos mercados para este fruto amazônico. Este desenvolvimento sinaliza um futuro promissor para o tucumã como um símbolo da riqueza natural da Amazônia, contribuindo para a economia local enquanto destaca a importância da preservação ambiental. Com informações do Agrishow

spot_img