Equipe concorreu com o relato “Etnodesenvolvimento e Hibridismo Cultural”

O relato “Etnodesenvolvimento e Hibridismo Cultural”, desenvolvido pelos alunos e professores do curso de Engenharia de Produção da Escola Superior de Tecnologia (EST), da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), ganhou o segundo lugar no Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora, na categoria Ensino Superior, nesta quinta-feira (13/06), na sede do Sebrae Amazonas.

O relato faz parte do projeto de extensão “Construção dos Saberes na Organização dos Trabalhos em Ritual Indígena”, realizado pelos os alunos Rucian Vilácio e Vanessa Damasceno, do 9º período, juntamente com as professoras Rejane Gomes Ferreira e Joelma Carvalho, e concorreu com outros três trabalhos, incluindo o “Reforma e Adaptação do Laboratório de Tecnologia, Inovação e Economia Criativa (Ludus)”, também da EST/UEA e gerido pelos professores Cristina de Araújo, Ricardo Barboza e Jucimar da Silva Júnior.

De acordo com o aluno vencedor, Rucian Vilácio, o projeto atua na comunidade indígena Sahu-apé, localizada no Rio Ariaú, a 27 quilômetros de Manaus. Ele explica que o trabalho consiste em traçar um plano estratégico de como continuar atraindo turistas à comunidade, mesmo com a concorrência das outras comunidades.

“Apesar dessa comunidade ser pioneira, tem outras comunidades inovando a questão do atendimento. Nosso trabalho veio com o intuito de melhorar o local, depois que essa comunidade, que era uma das atrações principais do hotel Ariaú, ficou a mercê depois da falência”, explicou o aluno de Engenharia de Produção.

O evento premiou dez projetos das categorias Ensino Fundamental, Ensino Médio, Ensino Profissional e Ensino Superior, e contou com a palestra “Como Empreender?”, de Hugo Guimarães, diretor geral do Grupo Estácio no Amazonas.

FOTO: Caio Vilaça/Sebrae-AM