Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

UFAM promove Campanha de Prevenção da Constipação Intestinal neste sábado, 28

Conhecida como “prisão de ventre”, doença pode indicar câncer colorretal
O Grupo de Pesquisa do Sistema Digestório realiza neste sábado, 28, das 8h às 12h, no auditório Doutor Zerbini, localizado ao lado da Faculdade de Medicina da Ufam, a Campanha de Prevenção da Constipação Intestinal. Após uma breve apresentação sobre o tema, haverá atendimento para as pessoas presentes no Ambulatório Araújo Lima (AAL) do Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). A Campanha é destinada a atender o público em geral (maior de 18 anos), que sofre de prisão de ventre e busca tratamento para esse incômodo. Os que não puderem ser atendidos no sábado, terão consultas agendadas, também no Ambulatório Araújo Lima, entre os dias 2 a 5 de março, em dois horários: das 8h às 12h e das 13h às 16h.

Chama-se constipação intestinal, ou mais popularmente, “prisão de ventre”, o distúrbio do funcionamento do intestino em que se demora mais de três dias para defecar. Quando isso ocorre, é comum que as fezes eliminadas sejam muito volumosas e secas ou se pareçam com fezes de cabrito (em bolinhas). Em geral, pacientes com constipação intestinal esforçam-se muito para defecar e as evacuações podem ser dolorosas.

Segundo o coordenador do grupo Cirurgia do Sistema Digestório, professor Ivan Tramujas, a campanha objetiva pessoas que sofrem com a doença a procurar ajuda médica, para que tenham um diagnóstico correto e um tratamento adequado. “O trabalho que estamos desenvolvendo levantará a prevalência de um dos tipos de constipação no Amazonas”, afirmou, ao informar que, apesar de não haver dados publicados relativos à população do estado, de modo geral, mulheres, idosos e crianças são as principais vítimas do mal. “Com a campanha pretendemos iniciar o levantamento de dados para sabermos quantos possuem constipação como queixa, mesmo que secundária e em quantos destes o diagnóstico de constipação verdadeira será formulado segundo critérios científicos”, disse.

De acordo com o coordenador, o diagnóstico da doença não é fácil de ser realizado porque a maioria das pessoas que apresenta o quadro não procura orientação especializada e, as que buscam, geralmente, não citam a constipação como sintoma principal.

No mundo todo, pelo menos uma, em cada cinco pessoas, sofre desta queixa por muitos anos e não busca atendimento médico para investigar a causa. Esse distúrbio pode ser causado por diversos fatores, que vão desde uma dieta irregular a doenças graves.

Quem apresenta este quadro deve ficar atento, pois a constipação intestinal pode ser apenas um sintoma inicial, por exemplo, do câncer colorretal, o terceiro câncer mais frequente entre homens e o segundo entre mulheres no Brasil.

Quanto mais cedo for feito o diagnóstico e tratamento, melhor a qualidade de vida e menor o risco de doenças malignas passarem despercebidas.

A atual campanha dispõe-se a conscientizar a população manauara a respeito dos problemas que podem ser causados ou estar associados à prisão de ventre e encaminhar as pessoas a procurarem orientação e atendimento adequados.

Na maioria das vezes a constipação intestinal é resolvida com alterações na dieta alimentar e estilo de vida.

-publicidade-