Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

UGPE apresenta novo programa socioambiental do Governo do Amazonas ao Banco de Desenvolvimento da América Latina

Apresentação serviu como prestação de contas, pois embora o programa não tenha sido executado anteriormente, o Governo do Estado não desistiu do projeto

O Governo do Estado, por intermédio da Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), apresentou nesta quarta-feira (19/05), os estudos e projetos para um novo programa socioambiental ao Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF).

Os estudos e projetos foram apresentados através de videoconferência para uma especialista socioambiental do banco CAF. O objetivo foi demonstrar os projetos do Governo do Estado em andamento, que visam diminuir os impactos do encerramento do Prosamim CAF.

O Prosamim CAF previa ações de reassentamento, urbanismo e saneamento na área dos igarapés Sharp, São Sebastião, Bindá e Sesc. Embora tenham sido concluídas algumas das ações propostas, como no igarapé do Sesc, que faz parte da bacia do Mindu, o programa não foi finalizado em sua totalidade e foi efetivamente encerrado em 2018.

A reunião serviu para prestar contas e mostrar para o banco que, embora o programa não tenha sido executado anteriormente, a UGPE não desistiu do projeto. ”Continuamos buscando levantar recursos e preparar um programa robusto para resolver o problema dessa população”, é o que afirma a subcoordenadora do social da UGPE, Viviane Dutra.

Na iminência de realização de um novo programa, as obras e reassentamentos da Sharp agora estão sendo colocadas como prioritárias. O novo programa terá um reassentamento mais reforçado e com uma ação mais completa, que possa de fato resolver a situação de vulnerabilidade dessas famílias, dando continuidade ao que o Prosamim CAF.

“Mesmo com uma diferença significativa no número de famílias a serem reassentadas na área da Sharp, onde de 2009 para cá essa população praticamente dobrou, o novo programa tem condições de contemplar a área em sua totalidade, afinal, um dos fatores mais importantes e mais críticos para que o Prosamim CAF não ocorresse foi, justamente, a não disponibilidade de recursos para o reassentamento”, aponta a subcoordenadora.

A CAF agradeceu o suporte da UGPE no envio do plano e apresentação do novo programa, parabenizando o Governo do Estado por não ter desistido da requalificação e reassentamento da área, apesar do programa não ter dado certo, na intervenção. “A CAF nos parabenizou por, em um curto espaço de tempo, de 2018 para cá, já ter conseguido preparar um novo programa e levantar o recurso necessário para ter em vista uma execução efetiva na localidade”, comenta Dutra.

O coordenador executivo da UGPE, o engenheiro civil, Marcellus Campêlo, afirma que desde o início do mandato do governador Wilson Lima, foram realizados vários estudos em áreas de risco na capital e no interior do Estado, com o intuito de transformar a vida dos moradores dessas áreas.

“A UGPE vem concluindo os estudos e os projetos e em breve o governador Wilson Lima vai anunciar um novo programa socioambiental para a capital e o interior do estado”, afirmou Campêlo.

FOTO: Tiago Corrêa / UGPE

-publicidade-