Nesta quinta-feira, 16/5, o projeto “Uma Tarde no Museu” foi realizado, extraordinariamente, pela manhã, para atender aos jovens da Associação de Amigos do Autista no Amazonas (AMA-AM). Acompanhados de seus tutores, o grupo de 16 pessoas percorreu as instalações do Museu da Cidade de Manaus, Centro, e se encantou com os atrativos que o espaço, com sua história e interatividade, proporciona aos visitantes.

Quem mais se empolgou com a visita ao museu foram João Victor Lima Pereira, 22, e a mãe, Rose Lima, 56. Mãe de outros três filhos, Rose contou que João Victor é o “bebezão” e ao mesmo tempo aquele que a ensina, todos os dias, como é lidar com alguém com limitações e com muitas potencialidades também.

Segundo ela, acompanhar o caçula em todo lugar é uma descoberta tanto para ele quanto para ela, por isso sempre faz questão de que ele esteja presente, que participe. “Eu gosto de participar do mundo do João Victor, tento entrar no mundo dele. Se o mundo dele é esse aqui, onde tudo é novidade, então para mim está sendo novidade também. Nessas horas me sinto como ele, quero aprender, brincar, tirar foto. Eu curto muito tudo isso”, declarou.

Tirar fotos é uma das coisas que João Victor mais faz nos passeios. Segundo a mãe, os registros enviados para a família e os amigos, exibidos nas redes sociais, são para mostrar o quanto o filho, portador do espectro autista, tem se desenvolvido.

“Em todos os passeios eu sempre tenho a preocupação de saber se o celular está carregado porque gosto de tirar foto dele. São momentos únicos e eu faço questão que todo mundo veja o quanto ele tem se desenvolvido. Sou muito grata pelo que o João tem me proporcionado, como este momento agradabilíssimo”, afirmou.

Alta demanda

É esse sentimento de inclusão e de oportunidade que o projeto “Uma Tarde no Museu” busca proporcionar às pessoas com deficiência ou em situação de vulnerabilidade social. Conforme a presidente do Fundo Manaus Solidária, Elisabeth Valeiko Ribeiro, o projeto tem tido tanta aceitação que hoje não é mais preciso ir em busca das instituições, são elas que procuram o Fundo Manaus e pedem para entrar na programação de visitação.

“É importante observar que esse fluxo mudou porque nos dá a dimensão da confiança que as organizações têm por nós. Lançamos o edital de credenciamento, de fomento, vamos realizar um seminário com as organizações e, além disso realizamos outras atividades inclusivas, como é o caso do “Uma Tarde no Museu”. Nossa preocupação no bojo de tudo isso é que todas as pessoas, indiscriminadamente, tenham as mesmas oportunidades e que desfrutem do que Manaus tem de melhor”, pontuou Elisabeth.

Inclusão e aprendizagem

Vice-presidente da AMA-AM, Carlos Silva enalteceu o projeto “Uma Tarde no Museu”, principalmente porque busca respeitar as individualidades de cada grupo participante. Conforme ele, no AMA há um projeto que busca proporcionar a inclusão dos educandos por meio de visitações e passeios, tudo para que eles tenham um dia diferente da rotina existente dentro da instituição e que se sintam parte da sociedade como um todo.

“O bom de tudo é ver que o poder público municipal, por intermédio do Fundo Manaus, está tendo essa visão, de proporcionar esses momentos diferentes do dia a dia das nossas instituições. Para os nossos educandos é muito bom e para nós é um avanço na questão da inclusão e da acessibilidade. Quando o Manaus Solidária vem ao nosso encontro e oferece essa estrutura, para proporcionar esses momentos, é melhor ainda, porque essa parceria permite diversificar o dia a dia deles, desenvolvendo suas peculiaridades, os seus dons e que exercitem o que aprendem”, finalizou.

Programação

O Museu da Cidade de Manaus tem visitação aberta de terça-feira a domingo, inclusive feriados, das 9h às 17h (com última entrada às 16h20), com acesso gratuito. O museu está localizado no Paço da Liberdade, na rua Gabriel Salgado, Centro Histórico de Manaus, em frente à praça Dom Pedro 2.

Texto – Michele Gouvêa / Manaus Solidária

Foto – Alex Pazuello / Semcom