União entre professores e administração é a base para elevar educação no Amazonas

Recife – Alunos da Escola Municipal Abílio Gomes, na capital pernambucana, usam livros didáticos que podem ser proibidos pela Câmara de Vereadores (Sumaia Vilela / Agência Brasil)

Após assumir a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) na sexta-feira, 11, o professor Gedeão Amorim firmou o compromisso de realizar uma administração participativa unindo os servidores na elaboração de projetos e execuções de ações que promovam o aumento dos indicadores de ensino.

Nesta segunda-feira, 15 de outubro, o novo secretário da pasta destacou a comemoração pelo Dia do Professor e disse o que educador desempenha um papel importante na sociedade, durante esse período turbulento pelo qual passa o processo político brasileiro.

“É o momento em que a presença da escola e do professor, enquanto fomentadores da reflexão, é fundamental para formar cidadãos conscientes dos princípios do respeito e da tolerância. A Secretaria de Educação vai apoiar os servidores neste processo”, afirmou.

Na sua nova missão no comando da pasta, Gedeão Amorim disse que quer ser tratado como um servidor, sem distinção. “Quero lhes pedir que continuem me chamando de professor, de amigo, de colega. Jamais estarei acima de vocês, estaremos ao lado”, declarou.

Ele retomou a gestão da Seduc, após seis anos, desde a sua última administração na pasta. “Nunca me distanciei dos meus amigos professores e servidores, sempre ouvindo e buscando atender suas demandas dentro das possibilidades que os cargos eletivos me permitiam nas questões institucionais”, afirmou.

Os professores vão receber investimentos para melhorar indicativos educacionais

Modernização e Humanização

Segundo o secretário da Seduc, ele foi chamado para pasta com o objetivo de implementar projetos de Modernização e Humanização do Ensino Público. “Vamos trabalhar para garantir que os profissionais da Educação possam superar desafios”, disse.

Gedeão disse que, em 30 anos, atuando não Educação, não lembra de ter visto outra profissão tão desafiadora e ao mesmo tempo tão gratificante que a de professor. “Sem ele, sabemos que não haveria médicos, advogados, policiais e outras profissões”.

O novo titular da pasta disse que sempre teve a consciência da importância de valorizar os educadores, tanto que na última gestão dele à frente da Seduc (2005-2012), ele implantou projetos e programas importantes de remuneração, qualificação e melhores condições de trabalho.

“Mas agora o momento é outro e o período da história do país é delicado. Com esses novos desafios, quero me empenhar em estar mais próximo de vocês, educadores, conhecendo sua realidade e demanda pessoal para ultrapassarmos, juntos, os obstáculos na melhoria da aprendizagem dos alunos”, concluiu.