A União Europeia reconheceu nesta quinta-feira (31) Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela. A decisão do órgão legislativo do bloco recebeu 439 votos favoráveis, 104 contrários e 88 abstenções. Na noite desta quarta-feira, a União Europeia fez um apelo para que sejam organizadas “eleições livres e credíveis” na Venezuela.

Guaidó, que é presidente do Congresso venezuelano se autodeclarou presidente interino do país durante uma manifestação em Caracas, em 23 de janeiro. O objetivo da sua iniciativa, segundo ele, é formar um governo de transição para organizar eleições livres no país, que enfrenta uma grave crise política e econômica.

Após o líder da oposição se declarar presidente interino, o secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu um “diálogo” na Venezuela para evitar um “desastre” no país. Segundo ele, o que preocupa é “o sofrimento do povo da Venezuela”.

Vários países já reconheceram Guaído como presidente venezuelano, entre eles o Brasil e os Estados Unidos. Nicolás Maduro alega que é alvo de um golpe e afirmou que não vai se render, mas estaria disposto a conversar com a oposição e mostrou-se favorável à organização de eleições legislativas antecipadas para superar a crise. No entanto, ele resiste à ideia de uma nova eleição presidencial.

Foto: AsambleaVE
Reportagem, Paulo Henrique Gomes

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here