Take a fresh look at your lifestyle.

Unicef conhece modelo híbrido de aulas adotado pela Secretaria de Educação no Amazonas

Secretária adjunta de gestão deu detalhes do modelo adotado na volta às aulas presenciais no Amazonas

-publicidade-

O modelo de aulas híbridas, adotado pelo Amazonas para o retorno das aulas presenciais, foi apresentado nesta sexta-feira (04/12) para o Fundo de Emergência Internacional das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Na reunião, a secretária executiva adjunta de gestão Rosalina Lôbo detalhou o plano e os benefícios trazidos para a educação do estado.

As aulas híbridas consistem na combinação de aulas presenciais, nas unidades escolares, junto com o acompanhamento dos conteúdos do Aula em Casa – programa adotado pela Secretaria de Estado de Educação e Desporto que leva as aulas aos estudantes por canais da tv aberta e pela internet.

Além disso, todas as turmas foram divididas em blocos A e B, frequentando as escolas de maneira intercalada. Às segundas e quartas-feiras, o bloco A assiste às aulas presenciais e, às terças e quintas-feiras, é a vez do bloco B conferir as atividades presenciais.

A medida foi tomada para seguir as orientações dos órgãos de saúde, que orientam o distanciamento social devido à pandemia de coronavírus. Diante da necessidade de manter o calendário escolar e seguir as orientações, aderir ao modelo híbrido, utilizando-se dos conteúdos que supriram as necessidades durantes a suspensão de aulas presenciais, foi a opção escolhida pela pasta.

“Nada funcionaria na nossa realidade se não fosse o combinado de tecnologias das aulas on-line e aulas presenciais, com estratégias tecnológicas e estratégias alternativas, nós abrimos vários subcanais para garantir que o alcance fosse maior, inclusive com reprises, para que as famílias com mais de um aluno pudesse ter acesso aos conteúdos”, explica Rosalina Lôbo.

Durante a reunião, as equipes pedagógicas e de gestão mostraram os programas adotados pela Secretaria de Educação no período de suspensão de aulas aos representantes do Unicef, que tiraram dúvidas e sugeriram, inclusive, uma parceria entre as duas unidades para o programa Busca Ativa, que visa reduzir o índice de evasão escolar.

FOTO: Lincoln Ferreira / Secretaria de Educação

-publicidade-