As Principais Notícias do Estado do Amazonas estão aqui!

Unidade Básica de Saúde da Família promove práticas integrativas e complementares

Plantas medicinais, reiki e auriculoterapia foram três das Práticas Integrativas e Complementares (PICs) abordadas por profissionais da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), durante evento promovido pela Prefeitura de Manaus na Unidade Básica de Saúde da Família Oeste 2 (UBSF O2), no bairro da Paz, na manhã desta terça-feira, 22/10.

Organizado como parte da programação do Outubro Rosa e também para marcar o Dia Nacional do Idoso – 1º de outubro, o evento teve como público alvo as pacientes atendidas na unidade de saúde.

De acordo com a enfermeira Tereza Neuman Portugal, a intenção foi apresentar as práticas integrativas e complementares, informando como podem ser agregadas aos serviços que são oferecidos na unidade de saúde, com o acompanhamento médico convencional e o tratamento medicamentoso.

“São práticas que ajudam no tratamento de pacientes que apresentam condições como diabetes, hipertensão e dor crônica, colaborando na adesão ao método e minimizando possíveis efeitos colaterais de medicamentos”, explicou a enfermeira, informando que a unidade de saúde atende 3,2 mil pacientes cadastrados.

Durante a programação, a gerente, em exercício, de Promoção da Saúde da Semsa, Gabriela Santos, destacou que o evento organizado pela UBSF é mais uma etapa do processo gradativo para a implantação das Práticas Integrativas e Complementares no Sistema Único de Saúde (SUS), que são tratamentos que utilizam recursos terapêuticos baseados em conhecimentos tradicionais.

Existem 29 procedimentos de Práticas Integrativas e Complementares indicados no SUS, o que abrange a utilização de plantas medicinais, o reiki e a auriculoterapia.

“O uso de plantas medicinais é uma das práticas integrativas mais populares, mas é preciso ter o conhecimento necessário sobre o preparo e dosagem para não causar prejuízos à saúde. A auriculoterapia não tem contraindicação e pode ser utilizada no tratamento de pacientes que já apresentam alguma indicação médica ou para a promoção da saúde. O reiki é um tratamento energético e também não tem contraindicação, atua no equilíbrio energético do paciente, o que, para quem pratica, colabora na melhoria da saúde”, esclareceu Gabriela Santos.

Para Carolinda de Carvalho, de 84 anos, que participou da atividade, é importante a divulgação da utilização das plantas medicinais no cuidado com a saúde. “Eu nasci e fui criada no interior e naquele tempo nem se ouvia falar em médico, e a gente só tratava doença com remédio caseiro. Hoje, ainda tenho muitas plantas em casa e uso algumas mesmo tendo atendimento com a equipe de saúde da UBSF, mas acho importante saber como utilizar e divulgar porque muitas mulheres só vivem levando os filhos no médico e eu digo para fazer um chá ou remédio caseiro”, afirmou Carolinda.

Também são práticas integrativas e complementares indicadas no SUS: apiterapia, aromaterapia, bioenergética, constelação familiar, cromoterapia, geoterapia, hipnoterapia, imposição de mãos, ozonioterapia, terapia de florais, ayurveda, homeopatia, medicina tradicional chinesa, medicina antroposófica, arteterapia, biodança, dança circular, meditação, musicoterapia, naturopatia, osteopatia, quiropraxia, reflexoterapia, shantala, terapia comunitária integrativa, termalismo social/crenoterapia e yoga.

Texto – Eurivânia Galúcio / Semsa

Foto – Divulgação / Semsa

você pode gostar também