Vaca/Leitinho/presos/homicídio/mototaxista

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da equipe de investigação da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), sob o comando do delegado titular da unidade policial, Juan Valério, cumpriu na manhã da última quarta-feira, dia 15, por volta das 7h, mandados de prisão preventiva em nome de Ricardo Rodrigues Cardoso, 26, conhecido como “Vaca” e Jonathas Simão de Oliveira, 26, chamado de “Leitinho”, envolvidos no homicídio do mototaxista Eduardo Douglas Bezerra Damascena, ocorrido no dia 20 de outubro de 2016. A vítima tinha 21 anos.
De acordo com o titular da DEHS, as ordens judiciais em nome da dupla foram expedidas na última segunda-feira, dia 13, pela juíza Anagali Marcon Bertazzo, da 6ª Vara Criminal. Ricardo e Jonathas foram interceptados nas casas onde moravam, localizadas, respectivamente, no beco São Vicente de Paula e Rua Danilo Corrêa, no bairro Petrópolis, zona Sul.

Juan Valério explicou que Ricardo seria um dos responsáveis pelo planejamento do crime e teria tentado ocultar o corpo da vítima. Jonathas ficou responsável por vender a motocicleta do mototaxista. A autoridade policial ressaltou, ainda, que um indivíduo identificado como Thomas da Silva Rodrigues, 22, o “Magro”, teria participação no delito e está sendo procurado pelas equipes da DEHS.

Thomas da Silva Rodrigues, o “Magro”, é procurado

Jonathas e Ricardo foram indiciados por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Ao término dos procedimentos cabíveis na especializada a dupla será encaminhada ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

Quem puder colaborar com informações que levem ao paradeiro de Thomas da Silva Rodrigues, entrar em contato com a equipe da DEHS pelos número do disque-denúncia da especializada: (92) 3636-2874. Também disponibilizamos o 181, da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). A Polícia Civil assegura o sigilo da identidade dos informantes.

Envolvimento

No dia 18 de janeiro deste ano, sob o comando do então delegado titular da DEHS, Ivo Martins, atual delegado-geral adjunto da Polícia Civil do Amazonas, uma equipe da especializada prendeu Alberli da Silva Baraúna, 26, e Cláudio Henrique de Sousa Lima, 23, também envolvidos no homicídio do mototaxista Eduardo Douglas Bezerra Damascena.

Os infratores foram apresentados à imprensa no dia seguinte, durante coletiva realizada no prédio da DEHS, na zona Leste da capital. Na ocasião, parentes da vítima, visivelmente exaltados, chegaram a agredir a dupla e tiveram que ser contidos por policiais civis durante a passagem dos infratores pela receptação da especializada.

Relembre o caso

A companheira de Eduardo Douglas, Gleicylene do Nascimento Damascena, compareceu à Delegacia Especializada em Ordem Política e Social (Deops) no dia 21 de outubro de 2016 para formalizar o desaparecimento do mototaxista.

Eduardo Douglas foi assassinado com requintes de crueldade

Na ocasião, relatou que ele estava desaparecido desde a manhã do dia anterior, após deixá-la, por volta das 7h, no local de trabalho dela, um supermercado situado no bairro Aleixo, zona Centro-Sul.

Eduardo estava conduzido a motocicleta que utilizava para trabalhar, modelo Honda CG Titan 150, de cor vermelha e placa JXA – 8038, quando foi abordado pelos infratores. Na ocasião, um dos elementos montou na motocicleta e levou a vítima para um beco no bairro Petrópolis, onde executaram o rapaz de forma bárbara.

A vítima foi decapitada e apresentava perfurações pelo corpo ocasionadas por golpes de faca. A cabeça foi jogada em um bueiro. A moto de Eduardo foi vendida por R$ 1,5 mil em um site. Os infratores relataram que o dinheiro foi usado para abastecer o tráfico de drogas no bairro Petrópolis.