Take a fresh look at your lifestyle.

Vacinação avança em Manaus e ações já impactam oferta de leitos

-publicidade-

Estado já recebeu mais de 555 mil doses do Ministério da Saúde para acelerar a vacinação da população, diante do cenário epidemiológico local

Manaus – A vacinação contra a Covid-19 avança em passos mais rápidos em Manaus. O estado já recebeu mais de 555 mil doses do Ministério da Saúde para acelerar a vacinação da população, diante do cenário epidemiológico local. Até o momento, já foram vacinadas 127.644 pessoas no Amazonas, sendo 70.513 em Manaus.

Desde a última segunda-feira (07/02), por decisão do comitê de crise, a capital amazonense antecipou a imunização de grupos-alvo, alcançando todos os servidores de saúde da rede pública e privada e idosos a partir de 70 anos.

Nesta terça-feira (09/02), as equipes de imunização ganharam o reforço de 35 homens do Exército Brasileiro. Eles vão se juntar aos mais de 350 vacinadores espalhados em nove Unidades Básicas de Saúde pela prefeitura da capital.

Paralelo aos esforços na corrida para vacinar a população, o Ministério da Saúde tem atuado em outras frentes para reorganizar a rede de saúde local. As medidas adotadas para transferência de pacientes para tratamento em outros estados, para a equalização do fornecimento de oxigênio e instalação de usinas para dar mais autonomia às unidades de saúde já estão impactando na oferta de leitos clínicos e de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Além disso, houve redução de 40,6% na fila de espera por leitos, que na noite de segunda-feira (08/02) tinha 336 pacientes –contra 659 registrado há 12 dias.

De acordo com o Boletim Diário de Covid-19 divulgado pelo estado na última segunda-feira (8/02), o Amazonas registrou 919 novos casos em 24 horas, totalizando 283.658, com 9.116 mortes confirmadas. Entre os casos confirmados, há 1.855 pacientes internados, sendo 1.160 em leitos (306 na rede privada e 854 na rede pública), 642 em UTI (289 na rede privada e 353 na rede pública) e 53 em sala vermelha, estrutura voltada à assistência temporária para estabilização de pacientes críticos/graves para posterior encaminhamento a outros pontos da rede de atenção à saúde.

Há ainda outros 476 pacientes internados considerados suspeitos e que aguardam a confirmação do diagnóstico. Desses, 371 estão em leitos clínicos (99 na rede privada e 272 na rede pública), 69 estão em UTI (54 na rede privada e 15 na rede pública) e 36 em sala vermelha.

Texto: Jacira Oliveira, especial para o Ministério da Saúde
Foto: Caio de Biasi/Especial para o Ministério da Saúd

-publicidade-