Take a fresh look at your lifestyle.

-publicidade-

Velório de Dom Sergio Eduardo Castriani será na Catedral de Manaus

Morreu nesta quarta-feira (03), no início da noite, Dom Sergio Eduardo Castriani, arcebispo emérito da Arquidiocese de Manaus. Ele estava internado desde a manhã do dia 26 de fevereiro, hospital Samel e deu entrada no pronto atendimento da unidade de saúde para fazer exames,  quando foi detectada uma forte infecção urinária. O quadro agravou-se na mesma noite ao sofrer um infarto e por isso foi necessário transferi-lo para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), onde encontrava-se sedado e entubado. No domingo (28/2) precisou fazer hemodiálise pois houve paralização da função renal.

Na noite deste dia 3 de março, aos 66 anos de idade, ele fez sua páscoa definitiva.    Conforme laudo médico, Dom Sergio faleceu devido à infecção (septicemia por grau negativo).

Velório, missa e sepultamento

O velório acontecerá a partir das 10 horas, no dia 4 de março, em frente à Catedral de Manaus, com o cuidado devido para evitar aglomeração.

A celebração de corpo presente será às 17 horas, na Catedral sem público, mas todos poderão acompanhar através da transmissão da TV Encontro das Águas, da Rádio Rio Mar e da Rádio Castanho.

O sepultamento acontecerá também na Catedral Metropolitana, em cerimônia restrita.

Sobre Dom Sergio Eduardo Castriani

Nasceu em Regente Feijó / São Paulo, aos 31 de maio de 1954. É filho de Aurelio Castriani (oficial de justiça) e de Anna de Mello Castriani (Professora). Foi formado na Congregação do Espírito Santo, tendo seus primeiros votos religiosos ocorridos no dia 2 de fevereiro de 1975 e ordenou-se padre em 9/12/1978, na cidade de São Paulo/SP.

Como padre, seu primeiro trabalho foi realizado na cidade de Feijó, no Estado do Acre, em 1979, na Diocese de Cruzeiro do Sul. Depois foi diretor da casa de formação dos estudantes de Filosofia de sua congregação religiosa em São Paulo, na Vila Mangalot. Foi ecônomo da casa provincial em São Paulo e conselheiro geral de sua congregação, por 6 anos, época em que viveu em Roma, na Casa Generalícia.

Foi conselheiro geral da Congregação do Espírito Santo e como padre dedicou-se, com destaque, como assessor da Pastoral da Juventude. Nomeado bispo coadjuntor por João Paulo II, em 1998, para a Prelazia de Tefé e em 2000 tornou-se bispo titular.

Em maio de 2007, foi delegado pela CNBB, na Quinta Conferência Geral do Episcopado Latino-americano e Caribenho, em Aparecida.

No dia 12 de dezembro de 2012 foi nomeado pelo Papa Bento XVI como Arcebispo Metropolitano da Arquidiocese de Manaus e empossado no dia 23 de fevereiro de 2013, em uma missa realizada na Igreja da Matriz – Nossa Senhora da Conceição. Recebeu o pálio, das mãos do Papa Francisco, na Basílica de São Pedro, em 29 de junho de 2013.

Em razão das limitações físicas causadas pelo Mal de Parkinson, teve seu pedido de renúncia aceito no dia 27 de novembro de 2019 e tornou-se arcebispo emérito da Arquidiocese de Manaus.

-publicidade-