Despertar emoções e escrever para emocionar, o VI Colóquio Literário foi um ato de educação. A literatura ainda resiste e a leitura pode ter um papel transformador na formação escolar.

Promover a relação do escritor e o leitor foi a iniciativa do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora nos dias 02 e 03 de outubro, aos alunos do sexto ano até os finalistas do terceiro ano.

Entre lições e conselhos, encontrar na leitura a melhor ferramenta para a escrita é a principal chave para ter um diferencial no futuro. “Precisamos descobrir que tipo de leitura a gente mais gosta e nem sempre nossas escolhas são com base nas nossas preferencias”, explicou a aluna Letícia Silva.

Assim como na vida da escritora Flávia Frota que teve a escola como principal incentivo e como forma de gratidão transformou emoções de uma formação pessoal e profissional em textos e crônicas que exaltam a importância da escola. “Parte da minha história foi por incentivo do colégio Auxiliadora, minha formação se dá ao tratamento que todos me deram, sou muito grata pelos incentivos à literatura que tive nos tempos de escola”, explicou a escritora.

“Primeira Impressão” título de seu primeiro livro relata situações que tiveram o CNSA como pano de fundo. “Quando uma crônica minha foi publicada pela primeira vez em um jornal impresso tive o mesmo sentimento de quando tive uma redação publicada no jornal ‘Geração Auxiliadora’”, lembrou.

Os alunos fizeram perguntas à escritora sobre o desafio de lançar um livro e se manter na internet. O encerramento do Colóquio foi com a apresentação dos alunos do terceiro ano com a música “Quero Ser Feliz Também” da banda Natiruts.

Como parte desta gratidão, a autora autorizou a divulgação do texto “Colégio Nossa Senhora Auxiliadora”, segue abaixo esse estímulo à leitura:

COLÉGIO NOSSA SENHORA AUXILIADORA

Alguns anos estudei no Colégio Auxiliadora

Principalmente cresci no Colégio Auxiliadora.

Por isso sou romântica, sonhadora: de fé.

Noventa por cento de fé nas almas.

Oitenta por cento de fé nas palavras.

E esse alheamento do que na vida é simplicidade e comunicação.

A vontade de escrever, que me paralisa o trabalho,

Vem do Colégio Auxiliadora, de suas manhãs brancas, sem problemas, sem preocupação.

E o hábito de ler, que tanto me diverte,

é doce herança Auxiliadorana.

Do Colégio Auxiliadora trouxe, talentos diversos que ora te ofereço: esta paródia singular, fruto das aulas da professora Vânia Pimentel; esse romantismo desmedido, da doce professora Ana Maria;

Este amor pela língua portuguesa, herdado da professora Ritta Haikal;

Este sorriso, esta confiança…

Tive estudo, tive alegria, tive aulas de religião.

Hoje sou fruto de tudo isso,

O Colégio Auxiliadora é apenas uma fotografia na parede.

Mas cravado no coração!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here