Pelo menos 300 mil quilos de abacaxi produzidos na comunidade são fornecidos para merenda escolar da rede estadual

O Governo do Amazonas, por meio do Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS), entregou, neste sábado (15/06), 17 triciclos com carretas adaptadas para a Associação Comunitária Agrícola São Francisco do Caramuri (ACASFC), localizada na zona rural de Manaus. O evento contou com a participação do governador do Estado, Wilson Lima, e da primeira-dama, Taiana Lima. O investimento é de R$ 197.200,00 e deve auxiliar no escoamento da produção dos pequenos agricultores.

A entrega dos veículos deve implementar um sistema interno de transporte na comunidade que vai facilitar e priorizar o bem-estar dos agricultores. Das 45 famílias que residem no local, pelo menos 34 serão beneficiadas diretamente.

No local, o governador também conversou com os associados da comunidade sobre as principais dificuldades da produção rural no interior e abordou a importância dos triciclos no dia a dia do agricultor.

“Esses triciclos que estão sendo entregues aqui são para ajudar essas famílias que produzem, principalmente, abacaxi, cupuaçu e também derivados do leite, como queijo, manteiga. E parte dessa produção já é absorvida, inclusive, pelo Governo do Estado na merenda escolar. Esse recurso foi aplicado aqui, na ordem de R$ 200 mil, é do Fundo de Promoção Social e nós vamos fazer entrega, também, em outros municípios, e eu faço questão de vir acompanhar, de apertar a mão do pequeno produtor, saber qual o problema dele e qual a dificuldade”.

Para os moradores, os novos implementos devem contribuir para reduzir o estresse físico e mental dos produtores, expostos cotidianamente ao desgaste do trabalho. O triciclo vem para dar mais agilidade ao deslocamento dos insumos e matéria-prima para o local de cultivo, além do escoamento da produção, aumentando a rentabilidade das atividades.

“Vai mudar porque a força que se fazia para fazer a condução vai modificar. Vai ser conduzido no triciclo, aí já não se faz mais aquela força que fazia para carregar, pra andar, se cansar, se matar fazendo força no corpo para carregar. Aí pega, joga no triciclo, traz para a beira, faz as entregas e volta novamente para o seu setor. Então é uma melhora suficiente para quem tá no campo”, afirmou o agricultor Herculano Barbosa, de 74 anos, e que há oito anos pratica o trabalho braçal na comunidade.

Fundo de Promoção Social – A entrega dos triciclos foi realizada por meio do edital 003/2017 do FPS. Após a apresentação do projeto da comunidade, uma equipe do órgão foi até o local fazer o monitoramento da situação dos agricultores e conhecer real necessidade dos trabalhadores rurais.

“A comunidade do Caramuri tem uma geografia bem complexa, então no período da seca a distância para escoar a produção fica muito longa, então eles fazem esse escoamento ainda através de cesto, carregando mesmo nas costas, e esse fomento chega para justamente melhorar essa questão do escoamento, da qualidade de vida do produtor, trazendo mais saúde porque é uma comunidade que sofre muito no período da seca para escoar a produção”, acrescentou a secretária-executiva do FPS, Kathelen Braz.

Incentivo – Com foco na produção de abacaxi, cupuaçu e maracujá, artesanato, turismo rural e pesca artesanal, a Comunidade Agrícola São Francisco do Caramuri fornece, desde 2014, cerca de 300 mil quilos de abacaxi anualmente para o Programa de Regionalização da Merenda Escolar (Preme), da Agência de Desenvolvimento Sustentável do Estado (ADS).

Para o presidente da comunidade, Daniel Leandro da Silva, o apoio do governo é um estímulo ao trabalhador rural, que vê nos triciclos uma mudança de curto a médio prazo tanto na qualidade de vida, quanto na continuidade da produção de abacaxi para as escolas da rede estadual.

“Através da Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS), em 2014 foi o primeiro ano que conseguimos fornecer a produção do abacaxi in natura e, ao longo dos anos, nós fomos ampliando esse fornecimento com produto de qualidade que é o principal objetivo da comunidade. Estamos diminuindo o índice de agrotóxico e o Preme traz para o agricultor estímulo porque ele elimina o atravessador e o produtor consegue chegar às mesas das nossas escolas estaduais levando produto de qualidade, no caso o nosso abacaxi. E nos últimos anos, agora, chegamos a 350 mil quilos fornecidos para o programa da merenda escolar”, afirmou Silva.

FOTO: Roberto Carlos e Diego Peres / Secom