A SUFRAMA participou, nesta quarta-feira (06), da reunião solene de abertura da terceira sessão da 17ª Legislatura da Câmara Municipal de Manaus (CMM), onde é realizada a leitura da mensagem anual do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto. A abertura dos trabalhos, realizada no plenário Adriano Jorge e diriga pelo presidente da CMM, vereador Joelson Silva, contou com a presença do superintendente da autarquia, Appio Tolentino, entre outras autoridades.

Em seu pronunciamento, Arthur Neto falou sobre a gestão municipal, educação, saúde, infraestrutura, novos investimentos, e finalizou abordando a Zona Franca de Manaus, destacando sua importância para o Brasil e para o mundo a partir do ganho ambiental proporcionado pelo modelo.

“Quando a tecnocracia de Brasília se perde sobre se o subsídio é bom, quando faz aquela relação medíocre entre o valor do custo do emprego e valor do incentivo é de uma mediocridade tão lamentável, porque estão se esquecendo de coisas tão óbvias, de que, por exemplo, temos uma floresta amazônica de verdade, no Amazonas, com cerca de 96% de preservação e esta é a grande fiadora da contribuição brasileira na luta pela mitigação dos efeitos do aquecimento global”, afirmou o prefeito.

Arthur Neto também lembrou que após a reforma da previdência será realizada a reforma tributária e nela será necessário “criar uma alíquota especial para uma região especial como a Zona Franca, que é reconhecida como especial pela Organização Mundial do Comércio”. O prefeito também ressaltou a importância de reformas claras para o modelo. “A convergência tecnológica está matando o nosso polo eletroeletrônico. A Zona Franca precisa de novos polos, penso por que não um polo de drones, por que não incorporarmos a Zona Franca com o que a quarta revolução industrial está nos oferecendo diariamente, por que não buscar novos polos sem concorrer com nenhum outro estado do País”, questionou.

O prefeito destacou que o trabalho para a recuperação da malha viária do bairro Distrito Industrial a partir de recursos de emenda parlamentar que serão transferidos à Prefeitura por meio da SUFRAMA é fundamental, no entanto, o governo federal precisa dar andamento em outras questões logísticas como a BR 319 e a infraestrutura portuária.

“Chega de o Brasil competir com a Zona Franca, chega de o Brasil não entender a Zona Franca. A Zona Franca beneficia todos os estados brasileiros, todos levam um pedacinho do que ela produz. Quis finalizar com isso porque entendo que é um assunto que motivará muitos debates nessa Casa. Tenho certeza que a reforma tributária não está nas minhas mãos enquanto prefeito, nem nas vossas mãos enquanto vereadores, mas podemos fazer uma senhora pressão. Uma pressão com as outras bancadas e para explicar com clareza as vantagens que tem para o Brasil ao soerguerem conosco este polo industrial”, finalizou.

Texto/foto: Layana Rios

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here